Entretenimento | Shows
De coisas que aprendi com Elis - Isabela Morais | 19/01/2019
Com instrumentistas da rica cena musical do Sul de Minas, show teve sua estreia em formato de grande produção em Belo Horizonte, contando com acolhida calorosa de público e crítica

 O Theatro Capitólio, em Varginha, recebe no dia 19 de janeiro (sábado), às 20h30, o espetáculo "De Coisas que Aprendi com Elis". No show, a cantora Isabela Morais revisita o repertório de Elis Regina num olhar apaixonado sobre o legado da artista gaúcha, tida como a maior intérprete da música popular brasileira. A banda traz importantes instrumentistas da cena musical do Sul de Minas: Bruno Vieira (bateria), Clayton Prósperi (piano) e Dedê Bonitto (baixo), além de marcar neste show a estreia do prestigiado guitarrista Ismael Tiso no grupo. A noite também celebrará os 37 anos de partida da artista, falecida em 19 de janeiro de 1982.

CLIQUE AQUI e concorra a ingressos!
 
Após apresentações embrionárias exatamente em Varginha, "De Coisas que Aprendi com Elis" contou com grande estreia, em julho de 2018, num dos mais importantes palcos de Belo Horizonte, o Cine Theatro Brasil Valourec, com casa cheia, participativa e emocionada, além de acolhida e amplo destaque em todos os veículos de imprensa da capital. Agora é a vez do sul de Minas, casa de Isabela e banda, além de celeiro de grandes artistas, receber o espetáculo. 

Com cenário inspirado no álbum "Elis, essa mulher", a proposta passeia pela própria história da música brasileira a partir de uma homenagem ao repertório consagrado pela intérprete, incluindo clássicos como "Madalena", "Como Nossos Pais" e "Romaria" e igualmente um mergulho no lado B, com músicas como "Rancho da Goiabada" e "Cobra Criada". 

"De coisas que aprendi com Elis" transita entre diferentes fases de uma das maiores intérpretes do mundo, buscando retomar o diálogo de sua obra com os temas concernentes à nossa realidade social - desfilam no repertório temas de Tom Jobim, Chico Buarque, João Bosco, Ivan Lins, Belchior, dentre outros. À frente da desafiadora tarefa de homenageá-la está Isabela Morais, cantora de interpretação autêntica e apaixonada, com expressiva trajetória nos grupos Marginália e Ummagumma (tributo de Pink Floyd que arrasta multidões há mais de uma década), ambos de Três Pontas, cidade natal da artista de 30 anos. 

"Elis Regina foi sem dúvida a minha principal referência. Comecei a ouvir desde muito nova, por influência de minha mãe. Senti forte a vontade de contar o que aprendi com ela, com a força que ela sempre teve pra mim", conta Isabela. Para a cantora, Elis conseguiu algo fantástico, que foi dar a sua cara para canções de compositores que estavam surgindo na cena. "A seu modo, fez uma leitura de mundo crítica que transpiravam em seus shows e nas fortes doses de ironia de suas interpretações." Foi esse aprendizado afetivo que norteou o show. 

Varginha

“O projeto De Coisas que Aprendi com Elis” nasceu em Varginha, em uma apresentação que marcava o aniversário de Isabela Morais, no Jardim Elétrico. E ali o show já demonstrou o potencial de abarcar um público maior, que desse vazão à expressão corporal, destaque aos músicos, iluminação e cenário – explorando todo um conceito visual que marcava as apresentações de Elis. “Mas a gente não consegue fazer uma longa caminhada e trajetória sem os primeiros passos. E esse primeiro passo foi dado em Varginha com um público muito acolhedor, muito apaixonado, tanto que em menos de um mês a gente fez duas apresentações lotadas”, relembra Isabela. 

Após passar por Três Pontas, o show enfim chegou a Belo Horizonte, desaguando toda a potência que as primeiras apresentações indicavam. “Depois de chegar à grandiosidade do Cine Theatro Brasil Valourec, com um público tão bom e muito emocionado, apresentar o show agora na beleza do Theatro Capitólio é como uma espiral, onde posso retornar de onde a gente começou levando tudo o que construímos a partir de lá”, conta. “Quero muito acolher Varginha e agradecê-la, fazendo um belíssimo show”.

Formato e interpretação

O cenário do trabalho, assinado por Cezar Renzi, tem como referência o álbum "Elis, essa mulher" (1979), que trouxe composições como "O Bêbado e a Equilibrista" (João Bosco e Aldir Blanc) e "Bolero de Satã" (Guinga e Paulo César Pinheiro), ambas presentes no show. O espetáculo, no entanto, abrange diversas fases da artista, diante da impossibilidade de esgotar suas múltiplas nuances, mas sempre expondo o caminho percorrido por Elis de revelar novos compositores (como Renato Teixeira) ao mesmo tempo em que revisitava temas do passado (como "Na Batucada da Vida", de Ary Barroso) e de artistas contemporâneos a ela, como Rita Lee e Milton Nascimento - que conta no show com performances de "Saudades dos aviões da Pan Air" e "Caxangá". 

Permeado por falas de Isabela Morais sobre artistas recorrentemente gravados por Elis, como Chico Buarque e Tom Jobim, o show preserva os arranjos e mesmo a interpretação personalíssima trazida em gravações como "Construção" e "Canto de Ossanha". Por outro lado, traz frescor em interpretações próprias do grupo para temas como "Arrastão". A poesia e a palavra evocada, viés valorizado por Isabela Morais em suas apresentações, também aparece com a leitura de texto escrito por Fernando Faro sobre Elis Regina, presente na contracapa de "Trem Azul" (1982). "Um rascunho / uma forma nebulosa feita de luz e sombra como uma estrela / Agora eu sou uma estrela." 

A banda traz artistas com longa trajetória na música mineira - Clayton Prósperi, que assina os arranjos do espetáculo, já se apresentou com nomes como Toninho Horta e Milton Nascimento, que interpretou sua composição "Eu, Pescador" no álbum "E a gente sonhando" (2011), no qual Isabela Morais cantou e também excursionou com Milton. "Assumir um repertório dessa magnitude, com músicos excelentes, numa grande casa é um desafio enorme. Uma grande responsabilidade porque sei o que significa Elis no imaginário de um fã."
 
Duração: 1h40
Classificação: livre

Siga o Varginha Online no Facebook, Twitter e no Google + .


Mais informações
Cidade:  Varginha
Data: 19/01/2019
Local: Teatro Capitólio
Endereço: Rua Presidente Antônio Carlos, 522 - Centro
Horário: 20h30
Valor do Ingresso: R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia) / R$ 45 (ingresso solidário (com a doação de 01 caixa de leite a ser remetida a uma entidade assistencial)
Pontos de venda: Varginha: Pré-Festa e Bilheteria do Capitólio / Três Pontas: Vimi Café Gourmet

Vendas online: Sympla
Informações: (31) 9.8788.4534

Comentários
« voltar
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
De segunda a sábado das 18h até 21h, balde com 5 litrinho de Brahma ou Skol por R$14,99, espetinho tradicionais por R$4,99.
Almoço Executivo a partir de R$ 15 começa a ser servido no Seo Haki de terça a sexta-feira das 11h30 às 14h00
Dia de quarta-feira no Degraus Restaurante é dia de escondinho de bacalhau, feijoada e pernil com pão de queijo.
Confira a programação do final de semana do Jardim Elétrico.
Sexta é dia Chopp em dobro no Seo Haki a partir das 16h30.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Página Principal | Notícias | Entretenimento | Guia Comercial | Guia de Bares e Restaurantes | Guia de Hospedagem
SIGA O VARGINHA ONLINE Curta a Página do VOL no Facebook Siga o VOL no Twitter Fale conosco
Quem Somos | Entre em Contato | Cadastre sua Empresa | Cadastre seu Evento | Central do Usuário | Anuncie no Varginha Online

Todos os direitos reservados 2000 - 2014 - Varginha Online - IPHosting- Hospedagem de Sites (Parceiro Varginha Online)