Coluna | Fatos e Versões
Rodrigo Silva Fernandes
Advogado e articulista político do Jornal Gazeta de Varginha. Escreve todas as quartas e sextas.
CVC das arábias; Novos imortais; Arrecadando; Gasto x Retorno
01/04/2022

CVC das arábias 

O prefeito de Varginha, Ipatinga, Santana do Paraíso entre outros estão em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, com o objetivo de alavancar o desenvolvimento de seus municípios com a atração de investimentos externos. Eles participaram, no início da semana, de uma reunião com o diretor executivo do Foreign Dubai Investment (FDI), órgão que cuida de atração de investimentos. Na oportunidade, os prefeitos apresentaram suas cidades e potencialidades de cada região. Verdi Melo, prefeito de Varginha sai na frente por já existir pré-negociação de grupo empresarial árabe interessado em investir em Varginha, o que pode gerar acordo de cooperação com o país saudita que vise promover nossa cidade como destino turístico e de investimentos. Vale destacar, ainda, que Varginha possui atrativos comerciais como o porto seco, localização privilegiada no Sudeste, proximidade com a rodovia Fernão Dias e ferrovias. Já no campo do turismo, nossa cidade tem a culinária mineira, represa de Furnas, proximidade com o Circuito das Águas e a famosa história do ET de Varginha. 

Novos imortais 

A Academia Varginhense de Letras, Artes e Ciências, se reuniu na noite do último dia 28 de março, sob a presidência do acadêmico Leandro Rabelo Acayaba de Rezende, ocasião em que foram aprovados como novos membros da Academia Varginhense de Letras, Artes e Ciências, os senhores Lindon Lopes da Silva, e Luiz Fernando Alfredo. Os novos indicados são conhecidos em Varginha pelos serviços já prestado à sociedade em áreas culturais, administrativa e artística, entre outras. Luiz Fernando Alfredo é poeta, poliglota, escritor e empresário, formado em Contabilidade, Filosofia, é autor de centenas de artigos nas áreas de: Sociologia, Filosofia, Matemática, Física quântica, Teologia, Ciências Políticas, História e Administração Pública, tendo os publicado nos jornais onde é colunista: Folha de Varginha e Jornal Gazeta de Varginha onde escreve semanalmente. Já exerceu as atividades profissionais como Subgerente Filial da Philips Morris Brasileira de Cigarros, Supervisor Regional Administrativo e Financeiro da CAMIG, Secretário Municipal de Administração durante quase 20 anos, Presidente do Fundo de Aposentadoria e Pensão (atual INPREV) por sete anos, Secretário Municipal de Controle Interno, Presidente do Hospital Regional Sul de Minas, Presidente da Fundação Hospitalar de Varginha - FHOMUV por mais de 20 anos, Presidente do PMDB por 10 anos, sendo vários dos cargos ocupados de caráter voluntário, sem receber nenhuma remuneração. O outro nome escolhido pela Academia foi Lindon Lopes da Silva, é jornalista, empreendedor cultural, ator, colunista social e Diretor do Museu Municipal de Varginha, já atuou como ator em mais de 30 peças teatrais adultas e infantis, com milhares de apresentações em escolas, teatros, praças, em todo o Brasil. Sindicalizado pelo Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado de Minas Gerais, sua carreira como colunista social começou em 1988 no Jornal Correio do Sul. Durante mais de 20 anos escreveu colunas para os jornais Gazeta de Varginha, Jornal do Sul de Minas. Foi presidente do Conselho Deliberativo da Fundação Cultural e Diretor do Museu Municipal entre 2017 e 2018. Ambos os indicados passaram por este Jornal Gazeta de Varginha, em nome da Coluna e deste Jornal, parabenizamos a Academia Varginhense de Letras, Artes e Ciências pelas escolhas e desejamos boa sorte aos novos imortais escolhidos. 

Arrecadando 

Continua a “fome arrecadatória do Hospital Regional do Sul de Minas”! A instituição vai receber outros recursos municipais, bem como federais por meio de emendas parlamentares neste ano. No diário oficial de 24 de março, foi publicada a Lei nº 6.951/22 que concede mais uma subvenção social ao Hospital Regional. Desta vez, o recurso é da ordem de R$ 401.206,21 (quatrocentos e hum mil, duzentos e seis reais e vinte e um centavos). Vale registrar que a Coluna apoia o aporte de recursos do município na Saúde. A área é importante para a comunidade, bem como também é importante manter o Hospital Regional com “saúde financeira e funcionando, mas de forma transparente”. Os inúmeros calotes em fornecedores, bem como atraso de salários que antes aconteciam naquela instituição já não ocorrem mais! Afinal, o Hospital Regional vem mantendo uma enorme soma de aporte de recursos, sobretudo da Prefeitura de Varginha por meio de recursos diretos ou por emendas de vereadores. Além disso, também é grande o volume de recursos federais e estaduais para o Hospital Regional por meio de emendas parlamentares de deputados federais e estaduais. Estamos falando de milhões de reais mensalmente entrando nos cofres do Hospital Regional, das mais diversas e variadas fontes. Contudo, é preciso pontuar, que as faladas prestações de contas públicas não temos notícia! Alguém sabe onde encontrar as tais obrigatórias prestações de contas do Hospital Regional? O Senhor Contribuinte, que é quem banca todos os milhões em recursos públicos, sejam federais, estaduais ou municipais que chegam naquele hospital não encontram prestações de contas publicada, não as encontram expostas em local algum! Vale até perguntar se o Hospital Regional reduziu sua dívida já orçada em mais de R$ 100 milhões de reais? Reduziu ou aumentou? Vale também perguntar que se o Hospital Regional vem respeitando a ordem cronológica do pagamento de fornecedores e credores? Ou será que os “amigos tem preferência na hora dos pagamentos”? Como aliás já ocorreu no passado! E quanto a eventuais obras, sim, com tantos recursos públicos chegando no Hospital Regional é preciso perguntar quais áreas daquele hospital já foram ampliadas ou modernizadas? Isso é informado em algum lugar? Ou será que a entidade continua sendo uma “ação entre amigos, que se cuidam, se protegem e se beneficiam juntos de administrar uma das maiores estruturas de saúde pública do Sul de Minas? É preciso que o Hospital Regional do Sul de Minas, por sua história, sua importância na saúde local seja mais transparente! Afinal, o Hospital Regional, literalmente, não tem dono! Não é do Governo Federal, nem Estadual, muito menos da Prefeitura de Varginha, mas ironicamente, recebe gordas “mamadeiras financeiras” de dinheiro público destas esferas de poder. 

Empoderada 

O crescimento do poder das mulheres é uma feliz constatação nestes tempos. E isso é bom, mesmo que muitas vezes a custa de um “feminismo desnecessário”, mulheres e homens são diferentes, mas com direitos iguais! No mercado de trabalho a mulher vem crescendo por estar cada dia mais preparada, capacitada e possui virtudes diferentes dos homens, o que a coloca em posição de vantagem para diversas tarefas e atribuições. Já na esfera política, as mulheres também caminham, mas em ritmo mais lento. No primeiro escalão, cresce o número de mulheres no poder. A coluna gostaria de pegar um exemplo peculiar para mostrar a longanimidade destas mulheres do poder público, muitas vezes pouco reconhecidas, mas que, aos poucos, fazem história. A portaria nº 18.501 de 24 de março de 2022, publicada no último diário oficial designou a chefe da Assessoria de Imprensa, Carla Correa Beraldo para substituir o secretário de Governo Carlos Honório Ottoni Junior (Honorinho) pelo curto período de 28/03 a 01/04. Carla Beraldo já acompanha o prefeito Verdi Melo desde os tempos em que o prefeito pertencia ao Legislativo, onde ocupou a presidência da Câmara e teve ao seu lado Carla Beraldo, também na assessoria de Imprensa nos momentos mais difíceis e nas brigas legislativas mais complexas. Diariamente a jornalista despacha com o prefeito, sendo talvez uma das pessoas de maior confiança e prestígio com o chefe do Executivo. Contudo, a assessora sempre discreta, nunca foi catapultada para cargos de “poder e disputa” como o caso da Secretaria de Governo. Por certo que mesmo em pouco tempo de atuação na pasta, Carla Beraldo pode fazer um bom trabalho, e não me surpreenderia se, numa eventual reforma administrada, o que certamente vai ocorrer despois das eleições, a discreta Carla Beraldo fosse alçada a uma secretaria. A conferir 

Gasto x Retorno 

Segundo a licitação – tomada de preços nº 001/2022, da Guarda Municipal de Varginha, os cofres públicos vão gastar para contratar empresa de serviços na área de engenharia, incluindo o fornecimento de mão de obra, materiais e disponibilização de equipamentos necessários para a execução das obras de construção de sala de multimídia, sanitários e sala de gerência, reforma da base da Guarda Civil Municipal e reforma da Portaria principal do Parque São Francisco. Não sabemos ainda o valor que será gasto pois o processo licitatório esta em andamento. Contudo, é certo que a Guarda Municipal de Varginha, que possui orçamento e gestão própria, embora seus recursos venham basicamente do caixa único do município, esta numa fase de intensos gastos com pessoal e estrutura. A coluna não conhece ou tem notícia de “pesquisa de satisfação, análise de desempenho ou números de gestão que mostrem a eficiência de cada secretaria e/ou autarquia, ou mesmo a percepção da população sobre cada área do governo”, o que aliás, seria um ótimo balizador para o governo medir seus gastos e competência de cada chefia. Fato é que a Guarda Municipal, no passado, possuía uma moderna rede de monitoramento por câmeras que cobria parte do centro comercial da cidade, além de pontos importantes dos bairros onde existia maior movimento de pessoas. Tal rede de monitoramento foi alvo de muitas polemicas uma vez que se gastou muitos recursos públicos nos equipamentos e também houveram muitas críticas quanto a qualidade e gerenciamento do mesmo. Passado o tempo, não se tem mais notícia deste sistema de vigilância, que chegou a ser cobiçado pela Policia Militar de Minas Gerais, que na época se “estranhava com a Guarda Municipal”. Atualmente, quando vemos gastos atribuídos a Guarda Municipal, são relacionados a contratação de cursos de tiro, compra de pistolas importadas, benefícios a membros da tropa etc, não vemos qualquer menção ao antigo sistema de vídeo-monitoramento! Onde foram parar tais equipamentos comprados com dinheiro público? Ainda funciona tal sistema? Quem opera tal sistema? Realmente é curioso como alguns setores do poder público municipal se tornaram “feudos independentes” cada qual com seu “senhor feudal”, que não informa nem presta contas do que faz, compra ou no que é útil à sociedade! 

Gasto e Retorno – 02 

Crescem os gastos de aluguel com frota própria na Guarda Municipal de Varginha. A instituição homologou licitação que tem por objeto a contratação de pessoa jurídica especializada na prestação de serviços de locação de veículos – 0 km. Entre os veículos que serão alugados está 01 - Veículo automotor, ano de fabricação não inferior a 2021 – modelo 2022, 0 km (zero quilômetro), Tipo SUV, cujo valor unitário mensal é de R$ 4.000,00 (quatro mil reais), o item 02 - Veículo tipo camionete furgão, 0 km (zero quilômetro), cujo valor unitário mensal é de R$ 3.100,00 (três mil e cem reais) e o item 03 - Veículo motocicleta, 0 km (zero quilômetro), cujo valor unitário mensal é de R$ 1.800,00 (hum mil e oitocentos reais), perfazendo a contratação total global de R$ 727.200,00 (setecentos e vinte e sete mil e duzentos reais). Bons tempos quando os membros da Guarda Municipal faziam rondas caminhando pelas ruas da cidade, principalmente nas regiões comerciais que tem sido alvo de pequenos furtos. Agora, os guardas civis estão “motorizados, mais gordos e os comerciantes com menor sensação de segurança”     

Muitas cópias 

Sabemos que os gastos públicos são realmente grandes e possuem escalas inimagináveis. Talvez por isso seja tão necessárias campanhas de conscientização dos servidores e da população para economia de energia, medidas mais sustentáveis, ações pensadas para reduzir resíduos, danos e gastos. Afinal, mesmo gastos simples como uma impressão ou cópia de xerox pode tomar contornos gigantes numa cidade do porte de Varginha. Um exemplo disso é a licitação – pregão presencial nº 041/2022. Na publicação a Prefeitura de Varginha anuncia a contratação de serviços para impressão de documentos e cópias reprográficas, perfazendo o valor total estimado da contratação em R$ 647.400,00 (seiscentos e quarenta e sete mil e quatrocentos reais). Realmente um valor significativo quando se pensa em gasto com cópias! Lado outro, a Prefeitura de Varginha tem mostrado inteligência gerencial quando investe em placas fotovoltaicas para gerar parte de sua própria energia para reduzir custos ao longo dos anos. Mas também é necessário dizer que não temos informação de campanhas públicas, por parte do governo, para conscientização dos servidores ou da população quando a economia de recursos e medidas sustentáveis! Tá na hora de toda a administração municipal, suas muitas secretarias, autarquias pensarem juntos em ações mais sustentáveis e econômicas!  

Comente!

 
Últimos artigos deste colunista
« ver todos
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Colunistas

SIGA O VARGINHA ONLINE Curta a Página do VOL no Facebook Siga o VOL no Twitter Fale conosco
Página Principal | Expediente | Privacidade | Entre em Contato | Anuncie no Varginha Online

Todos os direitos reservados 2000 - 2022 - Varginha Online - IPHosting- Hospedagem de Sites (Parceiro Varginha Online)