Coluna | Fatos e Versões
Rodrigo Silva Fernandes
Advogado e articulista político do Jornal Gazeta de Varginha. Escreve todas as quartas e sextas.
Planejamento e estrutura; Cobrança de esgoto questionada; Coleta Seletiva é essencial; Saúde e sua estrutura; Segurança Pública
26/03/2021

Planejamento e estrutura

Neste momento em que a atividade econômica está menor em razão da pandemia, bem como a redução da circulação de pessoas pela cidade seria a melhor hora para algumas ações por parte da Prefeitura de Varginha. A cidade está melhorando sua estrutura com a nova pavimentação de vias, o que é mais fácil de fazer com a redução de circulação de pessoas e veículos. Além disso, a instalação de lixeiras ecológicas, melhoria da sinalização, capinas, enfim, todos os cuidados e manutenções necessárias para melhorar a cidade. Muitas regiões de Varginha, principalmente nos bairros, estão desprovidas destas estruturas. A decisão do prefeito Vérdi Melo de recapear mais de 100 vias importantes da cidade deve ser acompanhada de uma mudança de postura do município em relação a prioridade que sempre foi dada ao centro em comparação de outras regiões da cidade. É tempo de buscar a melhoria da cidade como um todo. Varginha não pode ter regiões esquecidas e longe das estruturas e atenção do governo.

Cobrança de esgoto questionada

O vereador Reginaldo Tristão apresentou, na Câmara Municipal de Varginha, um requerimento solicitando informações à administração municipal, à Companhia de Saneamento Básico de Minas Gerais (COPASA) e à Agência Reguladora dos Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (ARSAE-MG), informações sobre as tarifas de esgoto. No documento Tristão quer saber qual órgão ou setor é responsável na administração pela fiscalização das tarifas praticadas pela Copasa. O parlamentar também faz as seguintes perguntas: Qual o motivo de ser cobrado o valor de 97% a 100% do valor consumido de água, porque o município não contestou essa cobrança, e como o município atua junto do ARSAE? “Há muitas reclamações dos munícipes sobre a cobrança da tarifa de esgoto, com valores muito altos na conta. Em fevereiro eu fiz o mesmo questionamento ao Executivo e a resposta do governo municipal foi a de que a Prefeitura não pode interferir nas tarifas de água e esgoto cobradas”, explicou o vereador. Ainda segundo o parlamentar, tais esclarecimentos são necessários para que a população que não está entendendo os valores cobrados na conta, possa sentir-se segura com o que está realmente pagando. “Quero essas informações para poder passar de uma maneira formal as respostas à população que tem o direito de cobrar pela prestação do serviço com qualidade”, concluiu Tristão. A cobrança de Reginaldo Tristão reflete uma reclamação comum em Varginha, visto que na cidade a Copasa cobra como tarifa de tratamento de esgoto, em torno de 100% do valor da água. Ou seja, a Copasa considera que 100% da água que chegou a casa do varginhense vai sair como esgoto e será tratado antes de voltar a natureza. Todavia, este pensamento não é correto, visto que da água que chega a residência do varginhense boa parte é utilizada para consumo humano, regar plantas e outras atividades diversas, o que significa que nem toda a água que chega tratada as residências sai em seguida como esgoto para ser tratado, conforme calcula a Copasa. Desta forma, quando a Copasa cobra pelo possível tratamento de um volume maior de esgoto, que na verdade não foi tratado, a estatal está enganando o consumidor.  

Coleta Seletiva é essencial

O Vereador Marquinho da Cooperativa apresentou pedido ao Executivo municipal solicitando a inclusão do serviço de coleta de materiais recicláveis nas atividades consideradas essenciais na cidade de Varginha. Segundo Marquinho, muito se tem falado de atividades essenciais, em decorrência da pandemia do novo coronavírus e o serviço de coleta de materiais recicláveis é tão essencial quanto o serviço de coleta de lixo. “Quanto mais longo o período de exposição dos materiais postos em desuso pela sociedade, maiores os riscos de contaminação pela população e maior a propagação de doenças virais”, explicou ele. Ele reforçou que a reciclagem de resíduos sólidos é uma alternativa de geração de trabalho e renda aos trabalhadores que estão fora do mercado formal de trabalho. “A paralisação desse serviço pode comprometer a economia local, pois existe o risco de aumentar o número de desempregados e pessoas que não conseguem suprir as necessidades básicas de seu grupo familiar”, finalizou. Certamente que a coleta seletiva, a exemplo da coleta de lixo, é essencial para o regular funcionamento da sociedade e precisa funcionar neste período da pandemia. O vereador Marquinhos da Cooperativa, que representa as muitas famílias que trabalham com a coleta seletiva atua corretamente ao defender o funcionamento da atividade neste momento de impedimento de muitas áreas da economia. A conferir

Novamente, FIEMG mobiliza empresários para doações ao Governo de Minas no combate a pandemia

Diante da falta de cilindros para armazenar oxigênio, insumo fundamental para o tratamento de pacientes em estado grave da Covid-19 e de outras doenças que acarretam dificuldade respiratória, a Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG) iniciou campanha de mobilização junto ao setor para disponibilizar mil cilindros para o governo estadual. De acordo com o presidente da FIEMG, Flávio Roscoe, 260 serão levados imediatamente à empresa White Martins, que irá envazar o oxigênio e distribuir o conteúdo de acordo com as orientações da Secretaria de Estado de Saúde. "Fizemos um levantamento e vamos conseguir disponibilizar, de imediato, com doação do SENAI, 170 cilindros, e outros 90 foram doados pela Samarco, para que a White Martins possa fazer a adaptação e entregar o insumo para os hospitais. Além disso, estamos mobilizando a indústria e esperamos conseguir mil cilindros para doar ao sistema de saúde do Estado", afirmou Roscoe.  Esta é mais uma das ações da FIEMG em favor da sociedade mineira no enfrentamento da Covid-19. No último dia 22, a Federação entregou ao governo estadual mais 100 respiradores mecânicos, totalizando um reforço de 1.700 equipamentos para a rede de saúde que atende pacientes infectados com o novo coronavírus. Além dos equipamentos, a FIEMG já doou milhares de máscaras, jalecos, álcool glicerinado e ainda tem atuado junto ao Poder Público para mitigar os efeitos da pandemia na vida da população.

Saúde e sua estrutura

A coluna tem recebido diversas reclamações e questionamentos sobre a área de saúde de Varginha. Possivelmente tal aumento se deve aos reflexos da sobrecarga da área de saúde com a pandemia. É fato que a estrutura municipal de Saúde tem recebido grandes investimentos e planeja melhorias, como por exemplo, a construção do Hospital da Criança, visto por alguns como um “puxadinho do Hospital Bom Pastor”. De qualquer forma, a Fundação Hospitalar do Município de Varginha – FHOMUV esta pressionada a mostrar serviço e ampliação dos atendimentos. Será que existe algum planejamento da Fhomuv para a ampliação dos atendimentos de saúde? E quanto as demais doenças e atividades da saúde que foram esquecidas neste momento da pandemia, a Fhomuv tem planejamento para dar vazão a estes atendimentos agora ou após a pandemia? A coluna já disse aqui que falta coordenação e sintonia entre os setores público e privado da área de saúde em Varginha. Além disso, as ações do Hospital Regional (comandado pelo Governo de Minas) e o Hospital Bom Pastor (coordenado pela Prefeitura de Varginha) não se mostram sintonizadas, pelo contrário! Na iniciativa privada, as ações e investimentos são totalmente desconectados do poder público. Cada hospital privado da cidade tem sua própria política de saúde e não há coordenação geral do setor na cidade. Será que existe algum fórum de debate permanente entre os hospitais públicos e particulares em Varginha? Existe comando?

Legislativo propõe incentivo a compra de veículos elétricos e híbridos

Durante Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Varginha o vereador Thulyo Paiva apresentou uma indicação ao Executivo e ao Secretário Municipal de Governo, pedindo a criação de uma política de incentivo à utilização de veículos elétricos e híbridos, baseada em isenção da cota-parte municipal do imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). Thulyo mencionou que apesar de os veículos movidos a energia elétrica representarem uma fração pequena da frota, os números demonstram que nos últimos dois anos as vendas desses veículos têm aumentado. “Uma pesquisa do Instituto Big Data no ano passado, mostrou que os brasileiros vêm demonstrando cada vez mais interesse em veículos híbridos ou elétricos, o que mostra uma mudança no pensamento das pessoas. A utilização de energias limpas e renováveis é um compromisso assumido por mim, quando da assinatura, ainda durante a campanha eleitoral de 2020, da Agenda 2030 da ONU”, explica o vereador. O vereador enfatizou ainda que é imprescindível que o município largue na frente e realize estudos técnicos no sentido de estabelecer uma política municipal de incentivo ao uso de carros elétricos ou híbridos na cidade, já que  será instalada uma montadora de veículos elétricos na capital mineira, com previsão de funcionamento para 2023. 

Pesquisa avalia Índice de Confiança dos Empresários de Varginha

O Departamento de Pesquisa do Grupo Unis, junto ao Cesul Lab e ao Grupo de Estudos Econômicos do Sul de Minas (GEESUL) está realizando uma pesquisa sobre a confiança empresarial. As perguntas analisam a percepção do empresário sobre vendas, inadimplência, segmento empresarial, contratações, investimentos e sobre a economia. A pesquisa é realizada trimestralmente e os resultados podem ser acessados no site do Departamento de Pesquisa. O UNIS tem realizado um importante trabalho de apoio e fornecimento de informações e capacitação ao setor produtivo. Este apoio se dá por meio do Cesul Lab e outros instrumentos criados pelo centro universitário. Diversas autoridades políticas, grandes empresários e professores renomados já estiveram no UNIS debatendo sobre a economia, o setor produtivo e as ações do poder público em parceria com empresários. A coluna vai aguardar a divulgação da pesquisa realizada pelo UNIS, é esperada uma diminuição da expectativa dos empresários, contudo, os estudos indicam que, com o aumento da vacinação da população e a superação da pandemia, a economia do Brasil e do mundo volte a crescer.

Segurança Pública

A Guarda Civil Municipal de Varginha, em parceria com a empresa Lua Comércio de Segurança Ltda, está instalando em alguns pontos da cidade, em caráter experimental, câmeras de segurança com tecnologia avançada. “A finalidade é a busca por melhorias na qualidade do serviço de captura e monitoramento de imagens”, explica o diretor da GCM, Marcos Cleber Sales. As câmeras são dotadas de um sistema moderno e com mais recursos, sendo que algumas delas são fixas e outras que giram 360 graus, propiciando uma vigilância mais eficiente e consequentemente mais rapidez na resposta a prevenção e combate à violência, criminalidade e proteção do bem público. O prefeito Vérdi Melo explica que “a instalação dessas câmeras servirá de experiência para a implementação do projeto “Cidade Inteligente” que a prefeitura está trabalhando para em breve concluir sua implantação com vista à modernização de todos os sistemas tecnológicos, inclusive com soluções para o sistema de mobilidade urbana“. As primeiras câmeras foram instaladas na Rua Delfim Moreira, cruzamento com a Rua Deputado Ribeiro de Resende, que recebeu 5 câmeras, uma para cada sentido do cruzamento e uma focando de cima do cruzamento. As próximas serão instaladas na Avenida Rio Branco, cruzamento com a Santa Cruz; serão 5 câmeras sendo uma virada para a Santa Cruz, 2 para quem sobe a Rio Branco, uma direcionada para a praça na avenida Rio Branco e uma focando o cruzamento; e outras 5 câmeras serão instaladas nas proximidades do Parque de Exposição que acompanharão todo o fluxo de veículos e pessoas em ambos os sentidos. As câmeras de segurança propiciam uma vigilância mais eficiente gerando mais rapidez na resposta a prevenção e combate à violência, criminalidade e proteção do bem público em Varginha.

Segurança Pública – 02

A iniciativa da Guarda Municipal em instalar câmeras de vídeo mais modernas e articuladas em regiões importantes do centro comercial de Varginha e elogiável. Estes equipamentos podem ajudar em muito a segurança pública na cidade, alem de contribuir com outras ações importantes, como no trânsito por exemplo. Contudo, é preciso saber se este complexo de câmeras será complemento ou concorrente do programa de videomonitoramento que a Guarda Municipal já possuía no passado e que muito foi questionado pelo custo e operação (ineficiente). Varginha já possui em torno de 140 pessoas mortas pela Covid-19 neste período de um ano. Número superior ao de assassinatos e outros crimes na cidade. A economia ainda vai mal e acredita-se que levará todo o ano de 2021 para que a população seja toda vacinada e a economia volte a crescer vigorosamente. Desta forma, quando os números da pandemia começarem a cair e a população reclusa começar a sair de casa, o desemprego e a fome vão impulsionar o número de crimes, principalmente assalto. E preciso que o sistema de Segurança esteja preparado para não ser pego de surpresa, como foi o nosso sistema de saúde, que hoje sofre por falta de estrutura e investimento das autoridades que não souberam planejar o futuro.  

Comente!

 
Últimos artigos deste colunista
« ver todos
 
Colunistas

Página Principal | Notícias | Entretenimento | Guia Comercial | Guia de Bares e Restaurantes | Guia de Hospedagem
SIGA O VARGINHA ONLINE Curta a Página do VOL no Facebook Siga o VOL no Twitter Fale conosco
Expediente | Privacidade | Entre em Contato | Central do Usuário | Anuncie no Varginha Online

Todos os direitos reservados 2000 - 2021 - Varginha Online - IPHosting- Hospedagem de Sites (Parceiro Varginha Online)