Coluna | Fatos e Versões
Rodrigo Silva Fernandes
Advogado e articulista político do Jornal Gazeta de Varginha. Escreve todas as quartas e sextas.
Desafios próximos; De Varginha para as Arábias; Promessa é dívida; Querem nos afastar!
05/12/2020

Desafios próximos

A coluna comentou na última quarta sobre a articulação política para a composição da Mesa Diretora da Câmara de vereadores de Varginha. Foi protocolada na Câmara Municipal de Varginha, na tarde de sexta-feira (27), a denominada Chapa 1 para concorrer à eleição da Mesa Diretora da Câmara de Varginha, que será realizada no dia da posse dos vereadores eleitos. A Chapa 1 é composta por Zilda Silva (PP) – Presidente; Rodrigo Naves (PSB) – Vice-presidente e Daniel Rodrigues de Farias (PODE) (Dan Dan do Mercadinho) – Secretário. A posse, bem como a eleição da Mesa Diretora ocorre no dia 1º de janeiro, em cerimônia ainda a ser agendada pela Câmara de Varginha. De acordo com os integrantes da chapa, o grupo conta com o apoio de mais cinco vereadores: Apoliano Rios (PP), Bebeto do Posto (PSL), Cristóvão (PODE), Carlinho da Padaria (PODE) e Reginaldo Tristão (PSB). A manter-se o apoio atual, a chapa 01, liderada por Zilda Silva tem maioria simples para ser eleita no comando do Legislativo. Contudo, é sabido que “articulações subterrâneas” da política local estão tentando emplacar outro candidato, que poderia ser o vereador Dudu Ottoni (PTB), que foi o vereador mais votado destas eleições em Varginha. Não sabemos o resultado desta eventual disputa, que certamente não abala a relação de amizade entre Zilda e Dudu, visto que ambos já são colegas no Legislativo e Zilda sucedeu Dudu nesta legislatura no comando da casa. Mas é certo que a “tropa de choque” que apoia ambos os nomes “tem tido conflitos constantes e isso tende a aumentar nos próximos dias”. Um dos principais apoiadores de Dudu chegou a “prometer e apostar” que o PTB vai comandar a Câmara em 2021. A conferir!

Perguntar não ofende

A relação de amor e ódio entre lideranças da base de apoio de Vérdi Melo no futuro governo mostra que o prefeito terá grande dificuldade de manter sua base unida durante toda a gestão. Será que as primeiras baixas começam antes das eleições de 2022?

Com a grande renovação na Câmara, muitos setores e instituições deixaram de ter representante/defensores. Será por isso que alguns dos poucos reeleitos já começam a defender e aproximar de setores importantes para os quais nunca deram bola antes?

Será que a disputa pelo comando da Câmara em 2021 pode refletir no preenchimento das dezenas de cargos de confiança existentes na Câmara? Qual a relação do mercado imobiliário e os interesses que orbitam a composição do Legislativo municipal de 2021?

Será que a “indústria do pitaco no trânsito” vai continuar na nova legislatura da Câmara de Varginha? Porque o Demutran, ao invés de fazer projetos técnicos e investimentos, fica apenas a atender favores a vereadores com mudança de mão e faixas de pedestres?

Diplomação dos candidatos será virtual

Foi publicada no final de semana a proclamação dos eleitos e a designação de data para diplomação de prefeito, vice e vereadores em Poços de Caldas. Segundo o texto, assinado pelo juiz Edmundo José Lavinas, isso acontecerá no próximo dia 18, às 13h, de maneira virtual. Em virtude do distanciamento social imposto pela pandemia da covid-19, a diplomação, conforme autorizado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais, será realizada na modalidade virtual, quando então serão disponibilizados os diplomas aos eleitos e aos suplentes, até a terceira colocação de cada partido que tenha eleito vereador. Em Varginha a diplomação também deve ser virtual, em razão da pandemia. Isso vai ajudar muito no “esfriamento” do clima político, pois ainda ficaram muitas “rusgas” entre os candidatos vitoriosos e derrotados. Além disso, a própria disputa de espaços e cargos no futuro governo ganha ares informais na medida em que o encontro presencial entre os políticos é reduzido.

De Varginha para as Arábias

Está previsto para o ano que vem uma visita do prefeito Vérdi Melo aos Emirados Árabes Unidos, onde o prefeito vai tratar sobre grande aporte de investimentos árabes em Varginha. O projeto inicial deste investimento foi muito comentado nesta legislatura onde teve amplo apoio de nomes como o vereador Zacarias Piva, passando pelo governador Romeu Zema entre outros políticos. O caso foi inclusive comentado durante as eleições municipais deste ano. Claro que diversos nomes tentam ser o “pai da criança”, visto que o projeto pode ser uma grande alavanca de desenvolvimento para Varginha. Sabedor do potencial do investimento árabe, o prefeito Vérdi Melo vai dar atenção especial ao caso de deve ir pessoalmente assegurar a “paternidade” do que for conquistado.

Promessa é dívida

As muitas obras de pavimentação asfáltica e demais obras de manutenção que estão em andamento em Varginha já começam a ser, novamente, monitoradas pela base de apoio do governo e principalmente pela incipiente oposição. Tanto apoiadores quanto opositores anotaram as falas do prefeito eleito de que as obras iniciadas em plena campanha eleitoral iriam continuar mesmo após as eleições e que, em algumas áreas, as obras seriam ampliadas. Os governistas querem “capitalizar politicamente” sobre o que for feito. Já a oposição quer saber se as obras executadas neste período eleitoral de final de mandato foram “eleitoreiras ou um acaso da natureza administrativa que acabou por beneficiar a reeleição”. A confirmar

IPVA 2021 começa a vencer em 18 de janeiro

A escala de pagamento do IPVA 2021 em Minas Gerais começa em 18 de janeiro e termina em 24 de março, conforme anunciado nesta terça-feira (1/12) pela Secretaria de Estado de Fazenda (SEF). O contribuinte que decidir quitar o imposto à vista, na data de vencimento da primeira parcela de sua respectiva placa, terá 3% de desconto. Permanece em vigor o programa “Bom pagador” de incentivo à regularidade da quitação do tributo, qu e concede, automaticamente, 3% de desconto para quem pagou em dia todas as obrigações referentes ao veículo, nos anos de 2019 e 2020. O Governo de Minas, por meio da Secretaria de Fazenda vem fazendo o que sabe fazer com maestria: cobrar o contribuinte! Todavia, o pagamento aos servidores, fornecedores não segue o mesmo rigor das cobranças. Aliás, será que o Governo de Minas também vai ser rápido na transferência da parcela do IPVA que cabe aos municípios? Ou vai reter pagamentos como ocorreu na gestão estadual passada? Outro ponto importante a destacar é com relação a importante retomada das obras de duplicação da BR 491 que liga Varginha a Rodovia Fernão Dias. A obra está parada e isso reflete diretamente na economia e segurança do trânsito na região. Os recursos do IPVA, em tese, devem ir para manutenção e ampliação da malha viária de Minas. Será que vamos ter boas notícias?

Minas tem novo Procurador-Geral de Justiça

O governador Romeu Zema participou, nesta terça-feira (1/12), da cerimônia de posse administrativa do novo procurador-geral de Justiça, eleito para o biênio 2021/22, Jarbas Soares Júnior. Ele ocupará o cargo de chefia do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pela terceira vez, sucedendo Antônio Sérgio Tonet. Durante a cerimônia, o governador assinou o livro de posse. A nomeação do novo procurador-geral foi publicada em 25/11. Zema reforçou a parceria do governo com a instituição e a importância de um trabalho transparente e ético em prol da sociedade mineira, com foco no combate à corrupção e mais justiça social. Jarbas Soares afirmou que tem como objetivo fazer uma gestão moderna, buscando a otimização dos gastos para prestar os melhores serviços à população. “Vamos criar uma equipe de unidade de combate à corrupção. Vamos combater o crime e trabalhar juntos com o governo nas políticas públicas, sempre defendendo os direitos da sociedade e público, assim como com o Poder Judiciário e as outras instituições de Justiça e a Assembleia Legislativa”, afirmou o procurador-geral. Natural de Montes Claros, Jarbas Soares Júnior ingressou no MPMG em 1990. Como promotor de Justiça, atuou nas comarcas de Januária, Ouro Preto e Belo Horizonte. Em 2001, foi promovido a Procurador de Justiça. Ocupou o cargo de procurador-geral de Justiça entre 2005 e 2008.

Cemig: 16 anos no Índice de Sustentabilidade Empresarial

A Companhia Energética de Minas Gerais – Cemig foi eleita, pelo 16° ano, para compor a carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial – ISE da Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo, no período de 4 de janeiro a 30 de dezembro de 2021. A manutenção da Cemig no ISE B3 demonstra o compromisso contínuo da companhia em adotar as melhores práticas de ESG, sigla em inglês para padrões ambientais, sociais e de governança, que ganham espaço no mercado. Para o gerente de Sustentabilidade da Cemig, Adiéliton Galvão de Freitas, “toda a companhia está focada na criação de valor para os seus acionistas, empregados e fornecedores; além de gerar o bem-estar da sociedade mineira, por meio do aprimoramento das práticas de sustentabilidade empresarial”. O ISE B3 ajuda investidores a tomarem suas decisões de investimento e induz as empresas a adotarem as melhores práticas de sustentabilidade. A nova carteira reúne 46 ações, de 39 empresas de 15 setores. Juntas, as companhias somam R$ 1,8 trilhão em valor de mercado, 38% do total do valor de mercado das companhias com ações negociadas na B3, com base no fechamento de 25 de novembro deste ano. O indicador de sustentabilidade subiu mais e teve menor volatilidade do que o Ibovespa, principal índice de referência da bolsa, desde que foi criado, em 2005. No período, o ISE B3 se valorizou 294,73%, enquanto o Ibovespa teve alta de 245,06% (com base no fechamento de 25 de novembro de 2020). O indicador de sustentabilidade teve volatilidade d e 25,62%, contra 28,10% do Ibovespa.

Querem nos afastar!

A coluna disse que o maior desafio do futuro governo será manter a união do grupo que elegeu o prefeito Vérdi Melo. Este desafio tem se mostrado a cada dia com os desafios diários da administração, principalmente com as “vaidades e disputas de espaço político” que envolvem a construção do governo. A coluna analisou que está previsto para o ano que vem uma nova etapa de “conflitos específicos” envolvendo a política municipal. Ocorre que após encerradas as eleições, os partidos vão fazer o saneamento das candidaturas, prestação de contas e demais burocracias partidárias junto a Justiça Eleitoral. Passada essa etapa, muitas legendas instituídas em Varginha terão mudança de comando. Muitas das legendas são compostas por comissões provisórias, sendo poucas com diretório e, portanto, mandato eleito. Assim, os caciques políticos da vez vão mudar o xadrez político da cidade e a coluna já descobriu “indícios de fumaça”. Ocorre que para evitar “sobreposição de poder e buscando ampliação de apoios”, algumas legendas já são certas para mudar de mãos na cidade. Os comandos regionais vão continuar os mesmos, mas as lideranças locais contempladas vão mudar. Com isso, as construções de campanhas a deputado estadual e federal para 2022 começam a ser desenhadas. Há rumores que Varginha terá inúmeros candidatos locais e forasteiros e que as inimizades já plantadas nestas eleições serão regadas até 2022, quando darão seus frutos para definir quem são as autoridades municipais que se manterão no cenário político municipal e quais serão, de vez, enterradas no passado. Aliás, a quem aposte que os medalhões Antônio Silva e Dilzon Melo podem estar nas urnas em 2022!

Comente!

 
Últimos artigos deste colunista
« ver todos
 
Colunistas

Página Principal | Notícias | Entretenimento | Guia Comercial | Guia de Bares e Restaurantes | Guia de Hospedagem
SIGA O VARGINHA ONLINE Curta a Página do VOL no Facebook Siga o VOL no Twitter Fale conosco
Expediente | Privacidade | Entre em Contato | Central do Usuário | Anuncie no Varginha Online

Todos os direitos reservados 2000 - 2021 - Varginha Online - IPHosting- Hospedagem de Sites (Parceiro Varginha Online)