Coluna | Fatos e Versões
Rodrigo Silva Fernandes
Advogado e articulista político do Jornal Gazeta de Varginha. Escreve todas as quartas e sextas.
Eleições e as análises
13/11/2020

Eleições e as análises

A coluna acompanha as eleições municipais de Varginha há muito tempo. Muitos prefeitos e políticos diversos passaram pelo poder na cidade, sempre com defeitos e virtudes que impactaram na gestão da cidade. A Gazeta de Varginha e o Portal Varginha Online foram dos primeiros a fazer entrevista com todos os candidatos, bem como analisamos o plano de governo de cada um dos postulantes ao Executivo municipal. Além disso, também acompanhamos outras entrevistas e debates dos candidatos em outros órgãos de imprensa e instituições locais que sempre participam das eleições, que neste caso, por ser mais digital neste ano, permitiu que as ideias dos candidatos pudessem ser acompanhadas e comparadas. Vale também destacar que a coluna falou com outras pessoas que conhecem e acompanham os candidatos, bem como conhecem a realidade da Prefeitura de Varginha e da gestão pública. Assim, vamos escrever abaixo uma breve análise de cada candidato, baseado nas informações e impressões passadas pelos próprios candidatos! É bem possível que haverá concordância ou discordância com a coluna, contudo, por tratar-se de opinião pessoal, cada eleitor deve fazer suas próprias análises e votar em quem entender melhor para a cidade. Certamente que todos os candidatos são dignos e merecedores de respeito, pois colocar o nome ao escrutínio da população não é tarefa fácil, pelo contrário, homens e mulheres desafiadores e corajosos estão fazendo em 2020 a eleição mais movimentada das últimas décadas em Varginha, com 7 chapas disputando o poder. Uma eleição sem “medalhões políticos” que vai revelar novas lideranças. Quem vencer ditará os rumos da cidade pelos próximos 4 anos, contudo, quem não ganhar, pode se consolidar também como liderança municipal. Daí será questão de tempo até que, no futuro, também tenha a chance de comandar a cidade. Boa sorte à população e que vença o melhor!

Anderson Martins – A Revelação

O candidato do PSDB Andersom Martins é sem dúvida uma revelação destas eleições, pois não se esperava nem se acreditava em uma candidatura tucana nesta disputa. O candidato tem bom conhecimento dos projetos que deseja implantar, mas não conhece a fundo os entraves do serviço público. Martins não tem grande assessoria ou estrutura para comandar uma prefeitura como a de Varginha, mas, sem dúvida, tem boa fé e empenho para construir uma boa equipe. Além disso, tem na pessoa de seu vice uma grande reserva moral e força e vontade para buscar novos caminhos para o Executivo municipal. O candidato não surpreendeu o eleitor ou “venceu” nenhum debate, das poucas oportunidades em que houve confronto de candidatos ou nas diversas entrevistas via web que todos os postulantes a prefeitura deram neste tempo. Mas Anderson Martins consolidou a força do comércio com sua postura sóbria e ética nestas eleições. A ACIV que em vários momentos foi “usada” como “trampolim político”, desta vez, deu a cidade uma opção neutra e sensata, contudo a economia da cidade não é composta apenas pelo comércio. De qualquer forma, o PSDB e a ACIV tem a chance de se consolidarem no mundo político depois desta candidatura municipal, a depender da votação alcançada. Percebe-se que o candidato, mesmo sendo “marinheiro de primeira viagem”, gostou da política e, se depender de vontade a da votação alcançada, vamos ouvir falar novamente de Martins nas próximas disputas. A conferir.

Demétrio Junqueira – A nova liderança

O candidato da Rede Sustentabilidade é um Político por natureza, no sentido de ser um agente transformador da realidade. Demétrio Junqueira já participou ativamente de várias eleições no passado, sempre nos bastidores, até este momento em que colocou seu nome e sua história à analise da população. Demétrio tem combatido “moinhos de vento” para mostrar que a esquerda tem nomes preparados e projetos eficientes. Não tem sido tarefa fácil, seu partido não tem recursos e poucos estão nesta empreitada com o candidato. Todavia, sua campanha bem humorada e objetiva tem conseguido adeptos a cada dia. Demétrio fala de fatos e pro jetos, sem perder a oportunidade de mostrar que alguns de seus adversários já tiveram chance de fazer diferente, mas não fizeram! O candidato que se acostumou a fazer transformações e cobranças nos bastidores, sem o enfrentamento político direto com o eleitor está se saindo bem e gostando do relacionamento com a população. Certamente que a liderança política da Rede que sempre negociava “sem ter o peso do voto no currículo”, agora tem a chance de se consolidar como liderança “com votos”. A questão é saber quantos votos? E, sobretudo, qual o grau de união que as legendas de esquerda terão em Varginha daqui pra frente, com a possível “sucumbência do PT”. Seria Demétrio o novo Boulos da esquerda local? Não sabemos, e nem é tão fácil dizer isso, mesmo porque o resultado que vai emergir das urnas em 2020 vai dizer se Demétrio emergiu para novos desafios como protagonista popular com votos e chances reais de representar grande parte da população ou se Demétrio vai voltar aos bastidores do mundo político, apenas como liderança partidária e não como líder municipal. O que a Rede Sustentabilidade terá pela frente?

Jonas Loureiro – Marcando presença

Certamente que o candidato do PCdoB Jonas Loureiro não esperava ser candidato a prefeito. Talvez nem mesmo a legenda esperava que fosse abandonar o PT em Varginha tão rapidamente para lançar candidato próprio. O PCdoB não tem tradição política em Varginha, embora seja um partido rico em história no Brasil. A legenda desafiou o “rumo costumeiro” das negociações locais ao lançar candidato desgrudado do PT. Na verdade, a legenda pode ter sido “compelida a isso, no momento em que o próprio PT se esquivou de lançar candidato”. Sem o PT, os demais partidos de esquerda como PSOL, Rede e PCdoB podem postular a chance de ser o “capitão do time da esquerda” local. Se qualquer destes partidos chegar a vitória, seria difícil para o PT requerer o protagonismo da liderança local das esquerdas. Jonas Loureiro é uma pessoa simples, sabe suas limitações e conhece seu potencial. “O candidato não fecha portas, e sabe em quais pode bater”. Jonas tem um plano de governo limitado, mas tem cabeça aberta para aceitar novas opiniões, o que é coisa importante neste momento. O candidato se aventurou no mundo político nestas eleições, sabe que suas chances são muito pequenas, mas não está ligando para probabilidades. Talvez no futuro o candidato se consolide como liderança partidária do PCdoB. Nesta condição e com “votos no currículo” terá mais respeito entre seus pares e junto a outras legendas nas próximas eleições. Não se acredita que Jonas Loureiro vá perseverar na condição de candidato, todavia, se tiver a chance, poderá ser um habilidoso líder partidário do PCdoB, dando a legenda a simpatia e carisma que poucas vezes se viu. A conferir  

Maria da Penha – Protagonismo Feminino

As mulheres são maioria no eleitorado, também são maioria nas faculdades, mestrados e em muitos outros lugares. Todavia as mulheres ainda não são maioria no mundo dos negócios, no mundo econômico e são ainda menos representadas no mundo político. Ao longo da história raramente Varginha deu oportunidade as grandes mulheres que passaram. As poucas que tivemos em postos de destaque na cidade cumpriram bem sua missão e trouxeram orgulho. A candidata do PSOL representa uma chance para que a mulher varginhense, que é maioria na cidade, tenha sua importância destacada no cenário político local. Contudo, também a exemplo da maioria das mulheres, Maria da Penha conhece pouco do mundo político. A candidata aparenta ter uma timidez desnecessária frente ao enorme eleitorado que representa, o que não permite que passe confiança a muitos eleitores. Maria da Penha tem a sorte de contar com um candidato a vice-prefeito ousado, que está com ela no desafio de mudar a cidade. Ambos estão determinados em marcar presença do PSOL na esfera política local. Como disse sobre outras legendas, o PSOL disputa mais que a Prefeitura de Varginha nestas eleições, esta também disputando a liderança ideológica entre a esquerda na cidade. Uma eventual vitória do PSOL em Varginha traria maior importância as mulheres mas também, e sobretudo, a liderança do PSOL sob os demais partidos da esquerda, inclusive o PT. Maria da Penha é uma mulher lutadora, se construiu com muito esforço e trabalho. Sua passagem pela política, oferecendo seu nome para cabeça de chapa de uma eleição municipal é prova que tem coragem para mudar, embora não transmita isso nas suas aparições públicas. Certamente será curiosa a participação do PSOL nestas eleições, o que as urnas reservam para Maria da Penha? A conferir

Rogério Bueno – Maior sensibilidade social

O candidato Rogério Bueno aparenta ser o candidato com a maior sensibilidade social. Bueno realmente se preocupa com as pessoas, mas existe dúvida sobre sua habilidade em montar a equipe para administrar números e metas, o que é fundamental na gestão pública. Rogério Bueno tem história política local, foi vereador por dois mandatos, líder político pelo PT, diretor do Hospital Regional e tem bom relacionamento político, mesmo com lideranças partidárias de direita. Aliás, a versatilidade política de Rogério Bueno é algo impressionante, pois mesmo com sua origem de esquerda construída no PT, Bueno não é radical e sabe ouvir, O candidato não tem medo nem vergonha de mudar de opinião. Prova disso é sua mudança para o PSB, onde hoje postula a Prefeitura de Varginha. Bueno terá o voto de muitos da esquerda, bem como da direita, justamente porque o candidato é plural no quesito de ideias e possui sensibilidade social para olhar os que mais precisam. “Mas Bueno está agora num grande desafio, pois fora do PT, partido que o forjou nas lides políticas, o candidato vai nestas eleições pesar o seu próprio calibre político, sem apoio ou ajuda de ninguém. Para aqueles que diziam que Bueno era fruto do PT, agora é certo que não, e os votos que Bueno conseguir nestas eleições serão votos 100% confiados a ele e sua história”. Bueno tem chances reais de vitória, mesmo estando “manco de muitos apoios” que esperava como certos, a exemplo das legendas de esquerda e grupos políticos e empresariais que no passado o apoiariam. Bueno vai continuar na política independente do resultado das urnas em 2020, seu DNA é de diálogo, de transformação, de construção. O difícil é mostrar isso agora, num momento em que o próprio Rogério Bueno está se reconstruindo para uma nova história política no PSB.   

Verdi Melo – O mais preparado

Não resta dúvida do amplo conhecimento de Vérdi Melo sobre a máquina pública. O candidato conhece mais que a legislação e as proibições, ele sabe o que é possível fazer e de que forma fazer. Vérdi conhece o caminhar do Legislativo, casa por onde passou e presidiu a Câmara. O candidato tem história política consolidada na cidade, e por sorte sua experiência chegou a Prefeitura de Varginha no momento que mais a população precisava: neste momento de pandemia. Por certo que sem um prefeito sereno e experiente, Varginha poderia perder bem mais vidas e sofrer ainda mais. Vérdi pagou preço de “tempo, humildade e conhecimento” para estar onde está hoje! Foram anos no Legislativo, derrotas políticas, 7 anos na vice e em secretarias municipais para aprender o que ele está fazendo agora, nestes 8 meses finais da gestão. E a princípio tem feito um bom trabalho, levando-se em conta que herdou uma boa gestão de Antônio Silva, a quem sucedeu e com quem muito aprendeu. Vérdi Melo não quer apenas governar Varginha, isso ele já está fazendo! Vérdi quer entrar para a história do município! E terá esta chance se vencer as eleições, pois conhece o Executivo como ninguém, suas possibilidades e fraquezas, além disso, o candidato já tem mapeado a perspectiva real de arrecadação e a potencialidade disso para a gestão nos próximos anos. Com o planejamento feito até aqui, Verdi sabe que se tiver mais 4 anos, pode fazer uma gestão que não vai apagar o valor de nomes como Antônio Silva, mas vai deixar um legado que destacará na história da cidade frente aos que já passaram. Será que a população dará essa chance ao candidato?

Zacarias Piva – A mudança

Varginha tem o inédito número de 7 nomes que disputam a eleição no município. Este fato histórico mostra que existem muitos caminhos a trilhar. Mas vale a pena pensar qual caminho tomar, se vale a pena mudar o caminho neste momento e em grau proporção mudar a direção. Se o eleitor quiser mudança, certamente este caminho tem nome: Zacarias Piva. Esse é o discurso e o propósito de Piva. Oriundo de um grupo político tradicional na cidade, Piva nunca se mostrou a vontade no Partido Progressista, onde se elegeu vereador e entrou na esfera política. Piva não é homem para ficar como “Plano B” de ninguém, como estava no PP. Desapegado de vaidades políticas, mas preso a entraves da personalidade, Piva foi a luta para construir sua candidatura independente à Prefeitura de Varginha. O candidato entrou nessa disputa sozinho, mas certamente sairá acompanhado de muita gente. Piva tem chances reais de vitória e preocupa os líderes das pesquisas pois não imaginavam que um vereador “sisudo e de pouca conversa” pudesse se transformar no líder cativante de sorriso fácil que tem percorrido as ruas da cidade. Para Piva, conhecer as dificuldades da população é olhar para a própria vida, visto que todas as suas conquistas foram com muito trabalho e dor. Piva sabe que está construindo uma ligação de sinceridade com o eleitor, pois vive e conhece de perto a dificuldade da população. Certamente que vamos ouvir falar muito de Zacarias Piva pois o seu tempo de ficar na gaveta em segundo plano acabou quando colocou seu nome nesta disputa. Será que devemos mudar?

Comente!

 
Últimos artigos deste colunista
« ver todos
 
Colunistas

SIGA O VARGINHA ONLINE Curta a Página do VOL no Facebook Siga o VOL no Twitter Fale conosco