Coluna | Fatos e Versões
Rodrigo Silva Fernandes
Advogado e articulista político do Jornal Gazeta de Varginha. Escreve todas as quartas e sextas.
Recursos da Saúde; Economia local; Trânsito e Planejamento; Decoração de Natal; Entrevistas com os candidatos
16/10/2020

Recursos da Saúde

No diário oficial de 24 de setembro foi publicado o aditivo nº 139/2020, datado de 25/08/2020 onde a Prefeitura de Varginha repassa ao Hospital Regional do Sul de Minas um recurso da ordem de um milhão e meio de reais para a atuação coordenada no controle ao combate da pandemia causada pela Covid-19. Por certo que este recurso tem origem também do Governo Federal que tem sido o grande financiador das ações contra a pandemia em todo o Brasil. Todavia, é importante destacar a importância da Prefeitura de Varginha na manutenção do Hospital Regional. Vale destacar , ainda, que recentemente, a Justiça não verificou o vínculo administrativo/jurídico entre o Hospital Regional e o Governo de Minas. Ou seja, não foi atestado que o Regional pertence ao Governo de Minas. Da mesma forma, os documentos hoje existentes não dão a instituição como propriedade do município de Varginha. Traduzindo em miúdos, o Hospital Regional do Sul de Minas não tem dono! E muito menos não há quem se responsabilize pelos cerca de R$ 70 milhões em dívidas da instituição, segundo a atual diretoria. Uma das prioridades do próximo prefeito de Varginha deve ser definir o “dono do Regional” e por consequência o responsável pela sua gestão e sua dívida. Afinal, a experiência das décadas em que o local está “falta de dono/responsável” serviu apenas para que o Hospital Regional fosse disputado politicamente, empregando “amigos do poder” e sobretudo, aumentar sua dívida. Uma auditoria independente precisa ser feita na gestão da instituição e a gestão precisa ser profissionalizada e despartidarizada. O Hospital Regional precisa se encontrar sob a gestão da Fundação Hospitalar de Minas Gerais - Fhemig ou da Fundação Hospitalar de Varginha – Fhomuv. Afinal, enquanto a dívida for menor que o patrimônio ainda há esperança, pois depois que esta barreira for rompida (e isso pode ocorrer a qualquer momento) o fechamento da instituição estará certo!

Recursos da Saúde – 02

Também recebendo recursos para os serviços e ações necessários para a atuação coordenada no controle ao combate da pandemia causada pela Covid-19 a Fundação Hospitalar do município de Varginha (FHOMUV), que gerencia o Hospital Bom Pastor. A instituição também recebeu o valor de um milhão e meio para a realização do tratamento de pacientes que estiverem em leito de enfermaria, bem como em leitos de Unidade de Terapia Intensiva – UTI. O Hospital Bom Pastor tem condições financeiras bem mais saudáveis que o Hospital Regional. Contudo, o Bom Pastor precisa melhorar sua gestão. A estrutura está crescendo rápido com o departamento de oncologia e agora com o “puxadinho que o governo municipal chama de Hospital da Criança”! Todas estas estruturas estão sob a gestão da Fhomuv que precisa ter profissionalismo e agilidade de gestão. E ainda vale dizer que os recursos da Oncologia, que são bem maiores que as demais áreas, devem ser utilizados com “sabedoria administrativa” para que toda a estrutura tenha o menor défit possível, afinal, a Fundação Hospitalar de Varginha é bancada unicamente pelo município e os recursos têm fim e limite!

Perguntar não ofende

Os hospitais públicos e privados de Varginha, bem como as clínicas particulares e veterinárias e consultórios odontológicos que produzem lixo contaminante específico estão sendo fiscalizados quanto ao descarte de lixo? Onde vai parar este material?

Um imóvel locado pelo Executivo municipal no valor de R$ 25 mil mensais (Contrato de Locação:022/2020. Datado de 26/08/2020) na Rua Alferes Joaquim Antônio, nº 160 - Vila Pinto, segundo o Google Maps, seria apenas um simples estacionamento! Caro, não?

Os candidatos a vice-prefeito nas eleições de 2020 terão um “valor diferenciado” em Varginha. Com a onda de “vices” que assumiram o poder em âmbito federal e em âmbito municipal, vale a pena saber sobre o vice do seu candidato. Já verificou quem é seu vice?

Muitos dos candidatos estão recorrendo a entrevistas on-line. A facilidade ajuda a difundir a informação mas traz um risco aos candidatos: fica tudo gravado na internet! Já pensou dizer no futuro que não prometeu e ser desmentido por sua própria gravação do passado?

Decoração de Natal

As luzes de Natal já começaram a ser instaladas no centro da cidade de Poços de Caldas. Em Pouso Alegre também há planejamento de decoração da cidade para o Natal. A decoração é um estímulo ao consumidor para ir as compras e também traz impulso ao comércio e até mesmo ao turismo. Pelo que se vê a iniciativa privada, principalmente os comerciantes do centro comercial de Varginha são os mais beneficiados. Todavia, a pergunta que fica é: A Prefeitura de Varginha é quem vai pagar tudo sozinha, novamente? Afinal, se a decoração é para a população, deveria ser instalada principalmente nos bairros onde está o povo, porém se a decoração também é para estimular o consumo/compras de Natal (razão pela qual é colocada apenas no centro comercial), é justo que os comerciantes também ajudem na despesa! Isso não é justo? Parece que sim, mas não é fácil convencer a ACIV a colocar a mão no bolso! Será que a Prefeitura de Varginha vai “fazer bonito com o chapéu/bolso alheio”? A conferir!

Economia local

Falando na Associação Comercial e Industrial de Varginha – ACIV, não temos ainda um diagnóstico detalhado do efeito da pandemia na economia de Varginha? Quantos estão desempregados? Qual o índice de inadimplência e desemprego? Como estão as vendas no comércio, do Shopping Via Café, etc? Será que o pagamento antecipado de metade do 13 salário dos servidores públicos municipais ajudou a segurar a queda nas vendas? Enfim, muitas informações estão faltando para se saber como realmente anda a economia local. Neste cenário os políticos e empresários da cidade vagueiam sem saber a realidade. Enquanto empresários seguram os investimentos com medo do que vem pela frente, os políticos prometem coisas que não vão fazer ou falam sobre situações que não existem.

Trânsito e Planejamento

A coluna vai voltar a falar sobre a Avenida dos Imigrantes que é um importante corredor econômico local que divide os bairros Santa Maria e Cidade Nova se estendendo até a Vargem passando por diversos outros bairros. Aquela avenida precisa urgentemente de planejamento viário. No trecho entre o Cefet e o Posto Pedra Negra, existe o comércio crescente de ambos os lados da pista e o estacionamento dos dois lados afunila ainda mais a via. Neste trecho, enormes caminhões de mercadorias, com café e produtos minerais (caminhões da Britadora Varginha) dividem espaço com muitos veículos, motociclistas e pedestres em um caos que não demora a fazer mais vítimas. São constantes os pequenos acidentes e freadas bruscas. O Departamento de Trânsito de Varginha – DEMUTRAN deve realmente estar parado ou míope por não verificar tal situação. O mesmo caminho vai levando a avenida Otávio Marques de Paiva, próximo ao Shopping Via Café, com o diferencial que aquela avenida já é duplicada. Contudo, o crescimento demográfico na região implicam em medidas de planejamento agora. Coisa que o Demutran também não faz! Será que este Demutran está funcionando? Será que o Executivo paga salários ali? Pra que, se não vemos serviço prestado?

Entrevistas com os candidatos

Como faz em todas as eleições, a Coluna Fatos e Versões e o Portal Varginha OnLine iniciaram a divulgação das entrevistas com os candidatos a Prefeitura de Varginha. Já nesta semana foram publicadas as entrevistas com os candidatos Anderson Martins (PSDB) e Demétrio Junqueira (Rede Sustentabilidade). O conteúdo já está disponível nas redes sociais e no portal da Gazeta e do Varginha OnLine. Nas próximas quintas feiras vamos divulgar as entrevistas dos demais candidatos. As perguntas foram sugeridas pelos próprios candidatos, que fizeram perguntas entre si e por leitores da Coluna Fatos e Versões e internautas do Portal Varginha OnLine. Temas como as finaças do município, investimentos públicos e privados, funcionalismo, saúde e infraestrutura entre outros foram abordados pelos candidatos. Ao longo das semanas de cobertura das eleições 2020, a coluna vai abordar as respostas dos candidatos. As entrevistas possuem 10 perguntas cada e têm em média 50 minutos de duração total. Vale a pena conferir! Vai lá no Portal Varginha OnLine e nas redes digitais da Gazeta e confira como pensa seu candidato. As duas primeiras entrevistas já estão no ar! 

Entrevistas com os candidatos – Anderson Martins - PSDB

A entrevista com o tucano Anderson Martins foi a primeira a ser divulgada, tendo em vista que a publicação segue ordem alfabética. Martins se mostrou tranquilo nas respostas e também mostrou bom entrosamento com seu vice, professor Guilherme. Sua candidatura não era dada como certa pelo mundo político, contudo o PSDB surpreendeu com o lançamento e Anderson Martins e professor Guilherme estão em plena campanha com visitas pontuais e entrevistas à imprensa. A base de apoio de Martins parece ser o pequeno empresário comerciante, setor que o candidato conhece bem, pois preside a Associação Comercial e Industrial de Varginha. Anderson se mostrou preocupado com o comércio local e vai se apoiar no setor para construir seu governo, caso seja eleito. A inexperiência política de Martins e Guilherme não é algo que incomode a chapa, mesmo que para alguns as falas do candidato soe como sonho utópico! O PSDB possui melhor estrutura e penetração social que outros partidos e a chapa pode surpreender. O discurso do candidato é atual e reflete bem a realidade do pequeno empreendedor que se relaciona sempre com o poder público e não vê a hora de conseguir mais apoio e menos tributação.

Entrevistas com os candidatos – Demétrio Junqueira – Rede

O candidato da Rede Sustentabilidade tem a confiança de quem quer ganhar, mas está longe de atingir o objetivo. Demétrio Junqueira e seu vice professor Wender Reis estão afinados e com discurso que foca no social e no funcionalismo. Varginha possui enorme número de famílias com falta de atenção social. Problemas como falta de habitação, escolas, desemprego e segurança pública, é com os descontentes com tais áreas que os candidatos da Rede Sustentabilidade querem dialogar. Mas será difícil, a estrutura partidária dos candidatos é pequena e quase não há recursos disponíveis para divulgações. Contudo, a chapa luta para participar de debates e ocupar espaço, embora não tenha tempo de rádio e TV. O candidato será chamado pela imprensa para apresentar suas propostas, mas precisa abrir o leque de ações. Oriundo do serviço público, Demétrio Junqueira aposta também no apoio do funcionalismo público, principalmente o municipal. Varginha possui cerca de 4 mil servidores e/ou aposentados do serviço público municipal o que pode ser um bom impulso para a campanha. Mas o candidato precisa agradar também a sociedade civil com ideias inovadoras e factíveis! Projetos utópicos ou mirabolantes são facilmente desmontados, o eleitor está cada dia mais exigente e os candidatos precisam estar atentos as cobranças. Com ideologia mais a esquerda, a chapa da Rede Sustentabilidade promete confrontar o atual governo e candidato a reeleição nos debates, caso tenha a chance. Vamos acompanhar!

 Exportações do agro mineiro crescem 9%

Com crescimento de 9,2% na receita e 28,4% no volume, as exportações do agronegócio de Minas Gerais já atingem US$ 6,42 bilhões no acumulado entre janeiro e setembro deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado. Ao todo, foram embarcadas mais de 10 milhões de toneladas em produtos. A importância do agro para a economia de Minas Gerais cresce a cada dia, ainda mais com as quedas de produção da mineração depois dos acidentes de Mariana e Brumadinho. O agronegócio representou 34,4% das exportações de todo o estado neste ano. O estado teve um pequeno declínio no valor geral das exportações, mas, se não tivéssemos o agronegócio, teríamos uma queda ainda maior. No saldo da balança comercial o agro contribuiu com US$ 5,9 bilhões, valor que representa 46% do saldo comercial mineiro. Este bom resultado está atrelado a dois principais fatores: o câmbio favorável ao comércio exterior e a alta demanda de compras da China que consumiu cerca de 30% dos produtos exportados por MG, os pedidos do país asiático cresceram 125% neste ano. Nestes nove meses, a agropecuária mineira enviou seus produtos para 168 países, sendo os principais China (US$ 1,88 bilhão); Estados Unidos (US$ 621,41 milhões); Alemanha (US$ 599,27 milhões); Itália (US$ 391,83 milhões); e Japão (US$ 249,65 milhões). Minas Gerais tem conseguido manter seus produtos competitivos no mercado internacional, mesmo nesse período de pandemia. A oferta regular de café, soja, açúcar e carnes vem garantindo boas negociações e acumulando recordes históricos neste ano. Fica ai a máxima dita por produtores rurais frente a “explosão” da mineração que tem suas incertezas: “a produção agrícola gera frutos todos os anos, já a mineração tem apenas uma produção, restando depois apenas o buraco”

Comente!

 
Últimos artigos deste colunista
« ver todos
 
Colunistas

Página Principal | Notícias | Entretenimento | Guia Comercial | Guia de Bares e Restaurantes | Guia de Hospedagem
SIGA O VARGINHA ONLINE Curta a Página do VOL no Facebook Siga o VOL no Twitter Fale conosco
Quem Somos | Entre em Contato | Cadastre sua Empresa | Cadastre seu Evento | Central do Usuário | Anuncie no Varginha Online

Todos os direitos reservados 2000 - 2014 - Varginha Online - IPHosting- Hospedagem de Sites (Parceiro Varginha Online)