Coluna | Bem Viver
Isabela Silva
Nutricionista formada pela Universidade Federal de Lavras (UFLA). Atualmente cursa mestrado na mesma Instituição. CRN9 23222/P
Desafie o seu policial alimentar
21/08/2020

Quem nunca se pegou julgando algum alimento ou alguém? Provavelmente você já passou por isso e há 2 lados da moeda, o de julgar alguém/algo e o de ser julgado por alguém. Sabe quando você sente uma vontade incontrolável de comer algo, mas acaba se privando porque vê ele como uma “gordice” ou quando alguém te critica por comer um chocolate, por exemplo? É disso que iremos falar hoje.

Essa atitude de julgamento alimentar com alguém, de alguém ou de nós com conosco é chamado de policial da dieta. Fazemos essa relação, pois uma das responsabilidades do policial é manter a ordem e, na nossa alimentação o policial, seja uma pessoa ou seja os nossos próprios pensamentos, julga nossos desejos e atitudes perante uma comida justamente porque estamos saindo do que é considerado saudável e correto.

Desafiar o policial alimentar é um dos passos para o comer intuitivo e ele se dá por um processo de não categorização dos alimentos, ou seja, o primeiro passo para começarmos a desafiar o policial da dieta é não rotular alimentos em “saudáveis” e “não saudáveis”, pois quando fazemos essa rotulação, automaticamente criamos categorias de alimentos proibidos e permitidos. Muitas das vezes, os alimentos que julgamos proibidos são aqueles mais saborosos ou que nos trazem alguma memória confortante.

A partir do momento em que começamos a restringir nosso consumo de algum alimento que gostamos, mas o consideramos proibido, inicia-se um ciclo vicioso, pois nossa tendência é querer aquilo que não “podemos”. Toda restrição que fazemos tende a gerar uma compulsão, pois você se priva daquilo por um tempo e quando tem a oportunidade de comê-lo você perde o controle e acaba comendo exageradamente.

O segundo passo para desafiar o policial alimentar é se permitir comer o que gosta sem culpa. Se você não julga mais tal alimento como proibido, você não o vê mais como uma recompensa, então consegue comê-lo sem se julgar ou se culpar.

Nossa alimentação deve ser baseada em alimentos naturais, porém nossa relação com a comida também deve ser algo saudável, que traga prazer e não sofrimento. Os pensamentos de culpa e julgamento não te ajudam a comer de forma mais saudável, pelo contrário, eles alimentam a categorização de proibidos e permitidos e podem até contribuir para o desenvolvimento de compulsões alimentares. Quando se tem um estilo de vida saudável, não será aquele doce depois do almoço que irá desandar seus objetivos e metas.

Uma alimentação saudável vai muito além do que colocamos no nosso prato.

 

Comente!

 
Últimos artigos deste colunista
04/09/2020 | Pipoca
07/08/2020 | Vegetarianismo
« ver todos
 
Colunistas

Página Principal | Notícias | Entretenimento | Guia Comercial | Guia de Bares e Restaurantes | Guia de Hospedagem
SIGA O VARGINHA ONLINE Curta a Página do VOL no Facebook Siga o VOL no Twitter Fale conosco
Quem Somos | Entre em Contato | Cadastre sua Empresa | Cadastre seu Evento | Central do Usuário | Anuncie no Varginha Online

Todos os direitos reservados 2000 - 2014 - Varginha Online - IPHosting- Hospedagem de Sites (Parceiro Varginha Online)