Coluna | Fatos e Versões
Rodrigo Silva Fernandes
Advogado e articulista político do Jornal Gazeta de Varginha. Escreve todas as quartas e sextas.
A perda de Carlos Costa; Especulação imobiliária; Dois coelhos numa única paulada; Tucanos no muro
05/08/2020

A perda de Carlos Costa

Na tarde da última segunda, 03/08, perdemos o empresário empreendedor e grande homem público Carlos Costa, vereador pelo MDB, em seu segundo mandato e com grandes projetos em curso na cidade. Carlos Costa comandava a Rádio Clube FM e, recentemente, com a Rádio Jovem Pan, em Varginha, projeto arrojado e que já nasceu sendo sucesso. Carlos Costa também comandava importante projeto social na cidade, estimulando e organizando doações da sociedade em prol dos mais necessitados. Seu trabalho lhe rendeu reconhecimento popular e a maior votação para a Câmara de Varginha em 2016. Neste ano, o vereador era sondado para ser candidato ao Executivo. Seu nome figurava entre os principais nomes das pesquisas de opinião realizadas na cidade. Foi convidado para ser candidato a prefeito pelo MDB, bem como, também convidado a disputar uma vice com outras personalidades locais. Político por ocasião e radialista por vocação, Carlos não queria comprometer seu trabalho com as rádios ampliando suas atribuições na política, escolheu disputar um novo mandato como vereador pelo MDB. Diante da perda inesperada e prematura, a legenda terá dificuldades nestas eleições, mas a exemplo de outros grandes políticos locais, a história e o carinho da população com Carlos Costa vai render dividendos a todos que o cercavam. Na segunda feira mesmo, diversas autoridades e populares já homenageavam o radialista e mensagens nas redes sociais apontavam seus feitos e sua história na cidade. Foi-se um grande homem público, empreendedor por natureza e um entusiasta do trabalho colaborativo, alguém que sempre acreditou que a força da sociedade vem da união das pessoas de bem! Não deixemos este sonho acabar! Vá com Deus, meu amigo Carlos Costa!

Especulação imobiliária

Varginha está vivendo uma explosão imobiliária com o surgimento de diversos novos bairros e loteamentos por todas as regiões da cidade. Da Vargem onde a cidade surgiu à longínqua região do aeroporto, muitas são as possibilidades de construção. O recente Plano Diretor aprovado no Legislativo, que norteia o crescimento local, e foi muito controverso, mostra o claro crescimento do interesse de empreendedores na área imobiliária municipal. Será que temos fiscalização, estrutura e planejamento futuro para “enxergar os desafios, oportunidades e gargalos que Varginha terá em 5, 10 ou 15 anos?” A forma com que nossas autoridades vão tratar este assunto agora, pode ser o divisor de águas entre Varginha ternar-se uma metrópole com vida saudável ou uma favela, a diferença entre receber investimentos ou cair no esquecimento dependerá da legislação e seriedade dos próximos governantes. A conferir!

Apoio local ao empreendedor

As maiores empresas empregadoras de Varginha receberão algum apoio ou orientação do governo municipal para continuarem empregando e gerando renda na cidade? Os principais setores produtivos locais tiveram algum estímulo municipal para manterem-se de pé diante da crise do Coronavírus que afeta sobremaneira a economia? A atenção do município para a saúde e aos “barulhentos” líderes do comércio local impediu o governo municipal de dar atenção a todas as áreas que precisam de destaque? Uma análise fria da situação mostra que o governo Vérdi Melo tem dado atenção a “todos que gritam”, mas, e quem é igualmente importante para Varginha, mas não reclama? Dois grandes executivos de empresas na cidade conversaram com a coluna sobre o atual momento econômico vivido na cidade. Disseram que o governo municipal, talvez por achar que “os grandes não precisam de ajuda ou que o município não pode fazer muito”, acaba por ignorar quem, aparentemente é grande ou visto como estruturado. Um erro comum em muitos municípios, que só descobriram que suas grandes empresas estavam vivendo situações difíceis depois que as mesmas pediram falência e despediram milhares de pessoas!

Dois coelhos numa única paulada

Em uma reunião realizada no gabinete do prefeito Vérdi Lúcio Melo, os vereadores Dudu Ottoni, Leonardo Ciacci e o assessor Jurídico da Câmara, Juliano Comunian conversaram com a Delegada Regional da Polícia Civil, Renata Fernanda Gonçalves de Rezende e mais dois servidores da Polícia Civil sobre a possibilidade da transferência da sede da Delegacia para a antiga sede do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais - DER, no Bairro Industrial JK, hoje ociosa. A mudança da Polícia Civil para a antiga sede do DER, abre a possibilidade de que o atual prédio do Fórum, na Vila Pinto, abrigue na próxima legislatura, a Câmara de Vereadores de Varginha. Por essa razão Ciacci e Ottoni foram até o prefeito pedir seu apoio para o convencimento da Polícia Civil, que a princípio, é quem herdaria o pomposo prédio da Justiça na Vila Pinto. Tal possibilidade tem sido tratada com otimismo pelo poder público municipal que vê nessa mudança uma chance da Delegacia Regional da Polícia Civil ir para um local onde poderá oferecer melhores condições de atendimento à população e dignidade para os trabalhadores do órgão. Não se sabe se a Polícia Civil “caiu no papo pra boi dormir” e vai trocar o valioso prédio da Vila Pinto, por um rústico e enorme galpão no bairro Industrial JK. De qualquer forma, atualmente, o prédio da Polícia Civil em Varginha é alugado pelo Executivo, que sempre apoiou as estruturas do Estado, mas não quer perder a oportunidade de “costurar um grande agrado aos membros do Legislativo e ainda economizar um salgado aluguel”. Vale dizer que o terreno onde foi construído o atual prédio do Fórum na Vila Pinto foi doado pela Prefeitura de Varginha, assim, o imóvel estaria retornando à propriedade do município, com um majestoso e confortável prédio em cima. O pedido de permuta está sendo realizado junto ao Governo do Estado e de acordo com o Executivo será uma economia para os cofres público, já que o Governo Estadual reduzirá com os valores pagos com aluguel.

Perguntar não ofende

Atualmente os moradores da Vila Pinto tem na vizinhança os endinheirados juízes e promotores. Podem trocar de vizinhos em breve, tendo bandidos presos pela Polícia Civil ou vereadores! Quais vizinhos seriam mais perigosos, presos da Civil ou vereadores?

Quais as proibições, limitações e prazos que regulamentam a propaganda política na internet? A Justiça Eleitoral e o Ministério Público Eleitoral possuem estrutura para fiscalizar tal meio? Os eleitores terão que obedecer as mesmas regras que a imprensa?

O silêncio de Rogério Bueno e seu PSB significam “inanição política” e sinalizam uma possível desistência da candidatura própria do PSB ou mascara uma grande articulação para fortalecer o nome de Bueno que sempre quis ser prefeito de Varginha?

PT e PCdoB podem voltar a caminhar juntos depois que Geisa Teixeira desistiu da candidatura à Prefeitura de Varginha? Será que os partidos de esquerda podem se unir diante da possibilidade de eliminação do cenário político nos próximos 4 anos?

Tucanos no muro

A tradicional alegação de que os tucanos preferem ficar em cima do muro vem desde as gestões de Fernando Henrique Cardoso como presidente da República. Em Varginha o PSDB viveu momentos de pequenas e médias decisões, porém neste ano, prepara-se para tomar um rumo político que pode mudar sua história local. Não se trata de “aprender a caminhar sozinho, lançando candidatura própria, mas sobretudo, a decisão de lançar candidatura neste momento difícil”. A legenda, embora esteja madura politicamente, não tem medalhões políticos nem recursos sobrando para tal desafio na cidade. Certamente que o lançamento de Anderson Martins será a maior decisão da legenda na cidade e pode custar caro ao partido se errar a aposta. “A coluna já havia dito que o nome de Anderson Martins é politicamente fraco e precisa de muito trabalho para se viabilizar, contudo, é um nome limpo e leve, o que facilita o trabalho de construção política”. Resta saber se o PSDB terá militância e tempo para fazer tamanho dever de casa nas poucas semanas que faltam para as eleições. O povo não está preocupado com política, e quando voltar suas atenções para os políticos, vai se deparar primeiro com nomes conhecidos e que já estão no cenário político a mais tempo, com mandato e atuando na política, inclusive, um dos principais é Vérdi Melo, um ex-tucano, que depois de muito tempo, conseguiu a chance de “descer do muro e vai mesmo para a disputa do voto”. Ou seja, a principal liderança do PT local, ganhou e perdeu muito em sua passagem pela vida política, talvez por isso o desfecho tenha sido tão dramático com um pedido de desfiliação de Geisa do PT, entregue aos “44 do segundo tempo” em meio as articulações para as eleições de 2020. Com estas mudanças ocorridas no PT, e sem Geisa Teixeira na disputa, o nome de Zacarias Piva (PSL) e Rogério Bueno tomam maior importância política e destaque na oposição. Não se acredita na união de Piva e Bueno, tendo em vista o perfil de ambos, mas é certo que a permanência das duas candidaturas é fundamental para a existência de oposição consistente na cidade, pelo menos nesta eleição. Certamente que o alvo do discurso de Zacarias Piva e Rogério Bueno será o atual governo e o prefeito que busca a reeleição, e não duvidem que nos debates e embates que teremos, o “PSB pode tocar a bola para o PSL chutar”. Será?

Esquerda e seus problemas 02

Outra candidatura que não é monitorada pelo governo, mas, tem grande chance de mudar os rumos da eleição, é a candidatura do PCdoB, que deve lançar Jonas Loureiro como candidato a prefeito e procura nome alinhado à esquerda ou centro para disputar como vice. Os partidos de esquerda em Varginha como PCdoB, Rede Sustentabilidade, Psol etc são legendas que possuem interdependência política em todo o Brasil. Estas legendas se ajudam principalmente em cidades onde existem segundo turno. Visto que todas lançam candidatos majoritários no primeiro turno para aumentar a legenda e fazerem representantes no Legislativo, mas depois unem-se no segundo turno em torno do nome que for para a disputa final. Em Varginha não temos segundo turno e as legendas alinhadas à esquerda estão buscando “luz própria longe do PT” o que não significa que aja isolamento das legendas, pelo contrário. Muitos articuladores sonham com uma aliança que reúna as principais legendas de esquerda em Varginha. Agora sem Geisa Teixeira na disputa, o PT fica mais frágil, porém, mais “humilde” para negociar! Poderia o PT dar a vice de Rogério Bueno? Poderia o PT compor com o PCdoB e juntamente com Psol, Rede e outros lançar uma aliança para disputar contra a reeleição? A conferir!

Comente!

 
Últimos artigos deste colunista
« ver todos
 
Colunistas

Página Principal | Notícias | Entretenimento | Guia Comercial | Guia de Bares e Restaurantes | Guia de Hospedagem
SIGA O VARGINHA ONLINE Curta a Página do VOL no Facebook Siga o VOL no Twitter Fale conosco
Quem Somos | Entre em Contato | Cadastre sua Empresa | Cadastre seu Evento | Central do Usuário | Anuncie no Varginha Online

Todos os direitos reservados 2000 - 2014 - Varginha Online - IPHosting- Hospedagem de Sites (Parceiro Varginha Online)