Coluna | Fatos e Versões
Rodrigo Silva Fernandes
Advogado e articulista político do Jornal Gazeta de Varginha. Escreve todas as quartas e sextas.
Trânsito e planejamento; Saúde pública; Cultura e eventos; Projetos parados
15/05/2020

Trânsito e planejamento

Mesmo com a pandemia e isolamento cobrado pelas autoridades, ainda se vê muito trânsito e aglomerações em diversas partes da cidade. Em que pese a necessidade de fiscalização, outras atitudes do governo também seriam necessárias neste momento, aproveitando que a circulação está reduzida. Temos como exemplo a Avenida dos Imigrantes, onde o movimento é intenso, há estacionamento dos dois lados da via com a circulação de veículos pesados e até mesmo animais. A sinalização é precária e isso já foi denunciado ao Executivo. Projeto antigo apontado pelo Departamento Municipal de Trânsito – Demutran, estuda a possibilidade de transformar a avenida em mão única, contudo o projeto não foi levado adiante. Mesmo com os problemas graves no local e a oportunidade de aproveitar o isolamento para reparos, nada foi feito! O local precisa urgentemente de atenção, nas adjacências, existem grandes obras públicas como o Cefet, novos bairros, Centro Esportivo entre outros que estão ampliando a cada dia o movimento na avenida e pequenos acidentes já são comuns na via! Será que a Prefeitura de Varginha vai esperar acidentes com mortes para tomar atitude?

Saúde pública

O vereador Carlos Costa (MDB) cumprindo o papel Legislativo de fiscalizar as ações do Executivo municipal solicitou ao prefeito e ao secretário municipal de Saúde as seguintes informações sobre marcação de consultas: Por que as unidades de saúde não estão marcando consultas? Quando voltarão a ser marcadas? Onde estão sendo atendidos os munícipes que precisam de atendimento médico e não têm sintomas do Covid-19? Por que o controle de pressão está suspenso? Como obter receita de medicamentos de uso contínuo? Está havendo atendimento pediátrico nas unidades básicas de saúde – UBS? Quando a população voltará a ser atendida com dignidade e respeito nas unidades de saúde de Varginha? Com o foco da área de saúde no combate a pandemia, muitos outros serviços e atendimentos à população, igualmente urgentes, do setor ficaram esquecidos o que mostra uma falha da saúde pública. Certamente que o “pós-pandemia” vai revelar que muitos setores do poder público, da economia, de atenção ao consumir etc ficaram destruídos ou precisarão de atenção urgente. Ou seja, os enormes gastos e reclamações vistos hoje são apenas uma parcela do que teremos por ai, quando a população sair do isolamento. Muitos ainda doentes ou se recuperando, milhares desempregados e muitos comerciantes quebrados.

Cultura e eventos

O mercado cultural e de eventos está agonizando com o isolamento de combate ao coronavírus! Todos os show, espetáculos, apresentações e demais eventos corporativos e empresariais foram cancelados e a expectativa é que, mesmo que sejam autorizados o retorno no segundo semestre, a população não terá mais confiança para participar de grandes eventos neste ano! Ou seja, os pequenos promotores de eventos e milhares de pessoas que vivem do comércio nestes eventos está sem nenhuma fonte de renda. O setor cultural que vive de espetáculos está em grave crise e artistas circenses, alguns cantores etc estão com dificuldades de sobreviver sem condições de pagar pela própria alimentação. Já os grandes artistas e cantores, astros da música pop e sertaneja no Brasil também tiveram queda de receita, mas estão longe dos problemas que passam os demais da categoria. Vale ressaltar que diversos grandes artistas e escritórios que representam grandes cantores estão sendo acusados de terem vendido grandes shows e apresentações e agora, diante do cancelamento obrigatório, estão se recusando a devolver integralmente os recursos o que tem gerado enorme descontentamento no setor. Um produtor cultural de Varginha informou a coluna que dos seus 40 funcionários, 20 seriam dispensados no final do mês e que, diante da recusa dos artistas nacionais em devolver o recurso pago pelos shows que foram cancelados, vai ficar um ano sem promover qualquer espetáculo em Varginha, até que consiga se recuperar financeiramente.

Detalhes do “chapéu alheio”

O vereador Celso Avila, diante da informação de repasses federais e ajudas públicas e privadas ao município para combate a pandemia do coronavírus solicitou ao prefeito as seguintes informações a respeito dos gastos efetivados na instalação do Hospital de Campanha junto à Universidade Federal de Alfenas – UNIFAL, em vista do combate ao covid-19: Quais foram os gastos já efetivados e os ainda não efetivados na instalação do hospital? Enviar planilha detalhada. Qual a origem dos recursos financeiros que custearam tais despesas? Qual o valor do repasse do recurso disponibilizado pela Câmara de Vereadores? Quem foram os parceiros do projeto? Qual o tipo de parceria estabelecida e quais materiais e equipamentos foram cedidos ou doados? Quantos e quais são os profissionais – concursados, contratados e terceirizados – que trabalharão no local? Sabe-se que diversas empresas e instituições tem colaborado no apoio as ações de combate a doença, bem como apoio à população carente. Contudo, tendo em vista o ano eleitoral, são grandes as possibilidades de “uso político” do esforço conjunto realizado por diversos governo e entidades. O vereador Celso Avila também solicitou ao prefeito, ao secretário municipal de Saúde e ao secretário municipal de Fazenda, solicitando as seguintes informações a respeito do repasse de recursos extraordinários ao município para o combate à pandemia do covid-19: Quais f oram os valores detalhados repassados pelo Estado e União ao município para o combate do Covid-19? Houve o recebimento em torno de R$ 16.000.000,00 (dezesseis milhões de reais) anunciados pelo Governo Federal e qual o planejamento para empregar esse recurso no combate ao Covid-19? Esse recurso é carimbado exclusivamente para utilização no combate ao Covid-19 ou pode ser aplicado em outra área? Quais os investimentos e recursos gastos do orçamento municipal e sua aplicação no combate ao Covid-19? Remeter planilha detalhada.

Estratégias de guerra

O médico e também vereador Fernando Guedes solicitou ao prefeito e ao secretário Municipal de Saúde, as seguintes informações e providências sobre a disponibilização de testes do COVID-19 para todos os profissionais área da saúde: Já foram solicitados aos órgãos competentes? Há data para liberação dos testes? Os testes serão suficientes para atender a todos os profissionais da área da saúde? Solicitou, ainda, ao prefeito e ao secretário Municipal de Saúde, as seguintes informações sobre a cobertura vacinal da Influenza – H1N1 e a subtipo H1N2 em Varginha: Como se encontra a cobertura vacinal? Como é feita a orientação dos órgãos de saúde à população? Como está o calendário de vacinação? Quantas pessoas vacinaram? Qual o público alvo da Campanha Nacional de Vacinação contra, H1N1, H1N2 e Influenza? Com o agravamento da doença em todo o Brasil e o crescimento dos casos confirmados de Covid-19 em Varginha, aliado ao aumento de casos de Dengue e baixo índice de cobertura vacinal para a Influenza – H1N1 tem causado tensão na base aliado do governo municipal. As cobranças estão aumentando e mesmo os “vereadores governistas” estão apresentando grandes demandas e fortes cobranças ao governo municipal.

Projetos parados

Diversos projetos e ações de governo em Varginha e em Minas Gerais estão parados, seja por falta de recursos ou por falta de foco neste momento. Alguns projetos, já antigos na mesa das autoridades parecem que vão mesmo ficar “pra eternidade”, mesmo com a grande necessidade da população. Este parece ser o caso da vinda da Ceasa para Varginha. As tratativas com o governo federal começaram a mais de uma década, ainda nos governos do PT, e se arrastam até hoje. O município precisa disponibilizar área, os produtores rurais precisam ser mobilizados e muita coisa precisa ser feita, burocracia e investimentos. Tudo coisa que já poderia ter sido feita diante de todo o tempo que existe o projeto, porém percebe-se claramente que não existe sintonia entre o governo municipal com os governos estadual e federal. “A relação da Prefeitura de Varginha com o Governo de Minas e Federal parece ser por e-mail. Ou seja, a Prefeitura de Varginha já pratica o distanciamento e isolamento dos demais entes públicos a décadas, bem antes da pandemia começar”! Assim não vai sair do papel mesmo!

Perguntar não ofende

A candidatura do PP a Prefeitura de Varginha parece que “subiu no telhado”. Mesmo o partido possuindo um deputado federal atuante na cidade, suas lideranças municipais não conseguem “aglomerar apoio” para fazer o projeto decolar! Será que vão aceitar a vice?

O presidente do Democratas está igual “pinto no lixo” diante das articulações políticas municipais. Será que o político iniciante vê a possibilidade de ser candidato a vice ou de ver seu candidato a prefeito decolar? Afinal, ver as duas possibilidades é algo muito difícil!

O prefeito Vérdi Melo e a presidente da Câmara Zilda Silva, antes bons amigos no PSDB, agora atuam em partidos diferentes e, segundo a boca pequena, não são mais “tão amigos assim”! Será mesmo verdade? Será este mais um caso comum de ingratidão política?

A candidatura do PSB, encabeçada pelo ex-vereador Rogério Bueno, parece estar parada! Será que Rogério Bueno e seu apoiador, o deputado estadual professor Cleiton Oliveira, estão trabalhando em silêncio ou estão mesmo “sem vice” para concluir a articulação política?

Na terra do Et, tem vereador de outro planeta?

Em meio a pandemia do coronavírus, onde as autoridades públicas de saúde do mundo pregam o distanciamento social de, no mínimo um metro e meio de distância, além do combate a aglomerações e cuidados com higiene pessoal lavando as mãos com água e sabão ou álcool em gel, o “sabedor” vereador Marquinho da Cooperativa encaminhou uma indicação ao Executivo municipal solicitando que seja estudada a possibilidade de abertura das quadras e campos de futebol society em Varginha. De acordo com o parlamentar a possível medida visa atender aos empresários do setor (donos de quadras e campos society). “Muitos empresários dependem desta renda (aluguel das quadras) para arcarem com suas despesas”. Segundo Marquinho a intenção é que a Prefeitura estude a possibilidade de retomada destas atividades. Ora, as declarações do vereador são mesmo estarrecedoras! Primeiro porque o pedido do vereador bate frontalmente com as prescrições dos médicos quanto aos cuidados necessários para evitar o contágio da doença e aumento das mortes. Segundo porque os “donos de quadras e campos society” na cidade (que não chegam a uma dezena, e certamente alguns amigos do distinto vereador, certamente) deveriam pleitear, se assim o merecer, apoio financeiro para subsistência neste período e não a absurda retomada de atividade de tamanho risco! E em terceiro, é de se espantar a tamanha desinformação do edil quanto ao momento grave que o mundo todo passa e os riscos que o pedido absurdo do parlamentar significa para a sociedade. Será que este edil é terráqueo e sabe o que estamos enfrentando? Ou será que o edil acredita que pode-se jogar futebol com jogadores mantendo distancia de um metro e meio um do outro? Ou mesmo, será que o edil conhece algum jogo de futebol com menos de 4 participantes? Afinal, acima de quatro pessoas juntas já é considerado aglomeração! Alguns de nossos representantes parecem ser de outros planetas e terem chegado aqui na nave do ET.

O “querido” desmancha rodinha

Leandro Acayaba, Racibe da Acrenoc, Meirevone Bíscaro, Zacarias Piva, Reginaldo Tristão e muitas outras lideranças políticas de Varginha brilharam na Câmara de vereadores da cidade representando o Partido Progressista. Mas estas lideranças possuem muitas outras semelhanças! Ambas já deixaram o Partido Progressista, e pela mesma razão! Tiveram conflitos com a mesma pessoa que hoje tem dificuldades de “aglutinar apoio em torno de seu nome”. O Partido Progressista é um dos grandes quadros da política nacional e também de Varginha, juntamente com outras legendas tradicionais como MDB, PTB etc. Grandes nomes da política passaram pela legenda e ainda hoje, o deputado federal que mais realiza por Varginha, Dimas Fabiano, pertence a sigla! Contudo, em âmbito municipal, o “comandante da legenda, precisa aprender a aglutinar e não espalhar”. Outra lição, boa de se aprender na política, é “aceitar desafios e desgastes em nome dos aliados, afinal, política se faz de soma de amigos e apoios! Esforçar-se apenas em causas de interesse próprio e deixar a causa dos aliados de lado é também uma forma de perder amizades que podem fazer falta no futuro!. Os entendedores, entenderão...!

 

Comente!

 
Últimos artigos deste colunista
« ver todos
 
Colunistas

SIGA O VARGINHA ONLINE Curta a Página do VOL no Facebook Siga o VOL no Twitter Fale conosco