Coluna | Momento Pet
Leonardo Massa Ribeiro
- Médico Veterinário CRMV-MG 12.645, graduado pela PUC/MG 2011.

- Pós-Graduado em Clinica Médica em Pequenos Animais (2013) e Clínica Cirúrgica de Pequenos Animais (2019).

- Professor do curso Auxiliar de Veterinário em Pequenos Animais desde 2013.

- Atua no atendimento em clínica veterinária na cidade de Varginha
Gripe canina! Sim, ela existe. Saiba como proteger seu animal
11/05/2020

O frio chegando e começa aquela dúvida de como proteger melhor meu cão contra a tão comentada gripe canina. 

Antes de mais nada, vamos deixar claro que o novo coranavírus (COVID-19) ainda não foi provado nenhum relato de infecção em cães e gatos.

Porém, temos o conhecimento da gripe canina, que já foi amplamente estudada e vez ou outra encontramos alguns surtos relacionado a essa doença.

A gripe canina, também conhecida popularmente como “tosse dos canis” e cientificamente com traqueobronquite infecciosa canina, é uma doença que pode ser causada por diversos agentes patológicos. Os dois agentes mais comuns são a bordetella bronchiseptica e parainfluenza canina. A boa notícia é que esses dois agentes podem (e devem) ser imunizados através das vacinações com seu médico veterinário. 

SINTOMAS

Os sintomas de uma gripe canina, são bem semelhantes aos sintomas encontrados na nossa gripe, como:

• Espirros;

• Secreção nasal (coriza);

• Tosse;

• Febre;

• Olhos lacrimejantes;

• Perda de apetite;

• Letargia;

• Dificuldade de respirar.

 

Animais que apresentarem complicações, podem desenvolver ainda broncopneumonia. Portanto, sempre que perceber alguma alteração respiratória, é sempre recomendado uma avaliação com o médico veterinário para proceder o melhor tratamento.

PREVENÇÃO

Para imunizar contra essas duas doenças é simples. Uma delas, a parainfluenza canina, está composta nas vacinas polivalentes (também chamadas de v8 ou v10). Portanto se seu animal está com ela em dia, menos uma preocupação. 

A outra vacina, conhecida como vacina da gripe, é específica contra a bordetella bronchiseptica. Ela deve ser feita separadamente aos protocolos que já são geralmente feitos pelos médicos veterinários. Ela também deve ser feita anualmente e deve ser adequada ao calendário vacinal.

Outra forma de prevenção que é de extrema importância e muito falado no momento, é a melhora da imunidade natural do seu animal. Para tal, é sempre importante uma alimentação de qualidade, com níveis de proteínas adequadas, rações com matéria prima de qualidade, níveis adequados de vitaminas e minerais na alimentação, atividades físicas rotineiras e um check up anual. Com esse processo, dificilmente seu animal terá algum tipo de problema com doenças contagiosas.

Talvez, ao terminar de ler esse artigo, você pode estar pensando como (ou até aonde) está a carteira de vacinação do meu animal. Aproveite esse momento para avaliar e colocar ela em dia, para manter seu animal sempre seguro e protegido!
 
Últimos artigos deste colunista
« ver todos
 
Colunistas

Página Principal | Notícias | Entretenimento | Guia Comercial | Guia de Bares e Restaurantes | Guia de Hospedagem
SIGA O VARGINHA ONLINE Curta a Página do VOL no Facebook Siga o VOL no Twitter Fale conosco
Quem Somos | Entre em Contato | Cadastre sua Empresa | Cadastre seu Evento | Central do Usuário | Anuncie no Varginha Online

Todos os direitos reservados 2000 - 2014 - Varginha Online - IPHosting- Hospedagem de Sites (Parceiro Varginha Online)