Coluna | Fatos e Versões
Rodrigo Silva Fernandes
Advogado e articulista político do Jornal Gazeta de Varginha. Escreve todas as quartas e sextas.
Descaso; Começo de jogo; Nada a perder; Trânsito x Planejamento e Modernização
07/02/2020

 Se a moda pega...

Um grupo de advogados realizou uma manifestação na porta do Fórum de Teófilo Otoni, na semana passada, exatamente no horário do início da Correição Ordinária da Comarca daquele município. Os advogados usavam vestimentas pretas e exibiam faixas demonstrando insatisfação, com vários dizeres, dentre: "A violação das prerrogativas e a morosidade processual, representam total falta de respeito com a classe advocatícia e a população". Outra faixa dizia que "a advocacia e população pedem socorro" . Já em Divinópolis, em menos de dois anos, a cidade pode perder sua segunda vara cível. O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) já sinalizou à 48ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em Divinópolis, o fechamento da 4ª Vara Cível. Segundo o presidente da OAB na cidade, Manoel Brandão, o órgão está realizando um estudo preliminar para avaliar a possibilidade do desligamento da unidade. As informações também apontam que um corregedor do tribunal deve visitar a cidade. O presidente da instituição explica que as Varas Cíveis são responsáveis por lidar, em suma, com processo do cotidiano das pessoas e das empresas, como problemas relacionados ao aluguel de imóveis. Não é mistério que Varginha também enfrenta graves problemas no Judiciário, como falta de servidores (inclusive magistrados), morosidade nos julgamentos, além de diversas “ilações sobre o comportamento de servidores públicos”. Será que o Judiciário, das comarcas mais simples até o STF, conseguiria passar por uma “Lava Jato” e se manter de pé?

Descaso

As fortes chuvas que castigam Minas Gerais estão castigando ainda mais a malha viária do Estado, que é a maior do Brasil. Em Varginha e região, a falta de manutenção e descaso tem levado preocupação à comunidade. As principais vias de Varginha esperam pelo “apoteótico” plano de recapeamento asfáltico que a Prefeitura de Varginha vai realizar em ano eleitoral. Já o Departamento de Edificações, Estradas e Rodagens – DEER/MG que é responsável pela obra de duplicação da BR 491, entre Varginha e a Rodovia Fernão Dias, a obra esta paralisada e vem deteriorando cada dia mais com as chuvas. Os trabalhos realizados em terraplenagem e escoamento estão sendo perdidos em razão da paralisação. Será que o DEER vai conseguir mantar em dia a manutenção do BR 491, mesmo com o período de fortes chuvas? Será que a obra de duplicação da principal via de acesso a Varginha vai ser concluída neste ano ou apenas no ano de eleições estaduais teremos atenção a este sério problema regional?

Índice de Popularidade Digital (IPD Quaest)

O Sindicato dos Jornais e Revistas de Minas Gerais – Sindijori contratou uma nova ferramenta para avaliar a popularidade digital de pré-candidatos a prefeito em seis cidades de Minas Gerais. O Índice de Popularidade Digital da Quaest foi capaz de prever 94% dos resultados eleitorais no ano passado e é a grande aposta do mercado de inteligência de dados para esse ano. Além de Belo Horizonte, o Sindijori vai monitorar cidades importantes como Juiz de Fora, Poços de Caldas, Uberaba, Passos, Pouso Alegre e Varginha. O levantamento avalia a popularidade de políticos e marcas nas redes sociais. Os dados são coletados no Twitter, Facebook e Instagram. Depois, são processados usando um algoritmo de inteligência artificial que determina quais políticos ou marcas são mais fortes no ambiente digital. O IPD se baseia em 40 variáveis de redes, que são divididas em cinco dimensões analíticas: presença, fama, engajamento, mobilização e valência. Além de fazer o ranking da popularidade digital dos políticos, o algoritmo também analisa quais dimensões explicam o sucesso ou o fracasso e cada um nas redes sociais.

Em Varginha, os jornais Gazeta de Varginha, Correio do Sul, Folha de Varginha e O Popular são associados do Sindijori e terão acesso aos dados da ferramenta. A divulgação deverá ser simultânea em todos os jornais associados.

Começo de jogo

O início do ano Legislativo voltou a trazer intensa movimentação política em Varginha. As reuniões da Câmara retornaram na segunda feira, 03/02, com a composição das comissões temáticas permanentes da casa. A nova Mesa Diretora formada pela vereadora Zilda Silva, presidente; Carlos Costa, vice-presidente; e Dudu Ottoni, secretário; já começou na difícil tarefa de administrar os “conflitos e vaidades” da formação das comissões, ainda mais porque as “animosidades” causadas na eleição da mesa ainda afloram entre os edis.

Na poderosa Comissão de Justiça, Legislação e Redação Final, o vereador Leonardo Ciacci ficou com a presidência, o que já era esperado tendo em vista a “proeminência, liderança e conchavos” protagonizados por Ciacci para a eleição de Zilda. Ciacci, queiram ou não é um líder nato na Câmara, usando seu prestígio para “coisas boas e coisa não tão boas”! Na Comissão de Finanças e Orçamento destaca-se o vereador Pastor Fausto, que mesmo sendo vogal, é o mais experiente e juntamente com os principiantes, Buiu do Ônibus e Marquinhos da Cooperativa, vão cuidar de tema importante no dia a dia Legislativo. Pastor Fausto deverá fazer a “escola dominical” para ensinar atuação aos colegas aspirantes.

Na Comissão de Saúde, Promoção Social, Esportes, Turismo, Cultura e Lazer, três vereadores preparados cuidarão do tema: Fernando Guedes, Zacarias Piva e Joãozinho Enfermeiro. Esta comissão tem ampla atuação e diversas possibilidades, igual os vereadores que a compõe. Zacarias Piva quer ser candidato a prefeito, tem grande chance de “morrer na praia”. Fernando Guedes representa um importante segmento no Legislativo: a classe médica, que intensifica seus embates contra o Executivo e vai pressionar o vereador a “escolher lado” neste ano eleitoral. Já Joãozinho Enfermeiro quer apenas, continuar! Continuar ali no Legislativo, vai tentar reeleição e tem eleitorado fiel, diversificado, mas vai enfrentar grande concorrência!

Começo de jogo – 02

Na Comissão de Viação, Obras Públicas, Agricultura e Indústria, o vereador Delegado Celso promete ser “o jiló na salada de alface – quer fazer diferença e ser percebido”. Celso tem ganho peso eleitoral fora do Legislativo onde sofreu derrota para a disputa do comando da casa. Mas Ávila e seu PSB podem ter importante atuação nas eleições municipais deste ano e o vereador, enfraquecido na casa, mas fortalecendo-se fora dela, vai pro “tudo ou nada”. Tentará a reeleição este ano e quer ter o que mostrar! Se depender das animosidades que esperam o Legislativo neste ano, Celso não terá dificuldades em abrir diversas “frentes de debates” que podem causar dor de cabeça nos governistas. Aliás, parece que Celso Ávila, que foi eleito pela oposição, deve voltar as “origens neste último ano da legislatura”, a exemplo de alguns outros vereadores que vão mudar de foco. Nas prioridades de agrado, sai o governo e entra o eleitor!

Perguntar não ofende

O Varginha Tênis Clube – VTC vai conseguir fechar parceria com clube esportivo para promover a revitalização de seu espaço abandonado no centro de Varginha? Será que o VTC vai entregar o “pedaço pertencente ao governo de Minas nesta aposta louca”?

Qual o efeito eleitoral da entrega do Kit Escolar, doado pela Prefeitura de Varginha as famílias carentes e qual o impacto desta medida na imagem do prefeito, do vice (candidato) e da secretária de Educação? Houve mudança de percepção eleitoral?

Após a assembleia geral dos médicos que atendem a rede municipal de saúde, será que a categoria vai ser atendida em seus pedidos ou vai paralisar os trabalhos? Qual o impacto político ao candidato oficial de uma “greve na saúde” em pleno ano eleitoral?

Quanto ao IPTU e taxas de iluminação pública e de limpeza urbana: Quanto o município arrecada de IPTU? Quanto se arrecada de taxa de iluminação pública? Quanto se arrecada de taxa de limpeza pública? Onde são investidos os valores arrecadados?

Nada a perder

O vereador Carlos Costa (MDB) realiza intenso trabalho social em Varginha, já o fazia bem antes de entrar na vida pública. Talvez por isso, seja um nome com forte apelo social e desponta com vantagem nas pesquisas de opinião para a disputa ao Executivo municipal neste ano. Contudo Costa não é um homem de grandes posses, seu maior patrimônio é sua história de vida e uma poderosa voz, bem conhecida na cidade após décadas de atuação na Rádio Clube FM onde trabalha e tira seu sustento. O vereador em segundo mandato já acalentou o sonho de ser prefeito, o que hoje, não faz questão! Mas a exemplo do que ocorreu nas eleições municipais de 2016, mesmo Carlos Costa não sendo candidato a prefeito, seu apoio ao então candidato Natal Cadorini, contribuiu muito para que o “político estrangeiro de Elói Mendes” ficasse na segunda colocação na disputa. Prova disso é que Carlos Costa sagrou-se o vereador mais votado desta legislatura! Com a atual proibição de coligações proporcionais, o MDB de Carlos Costa tem missão difícil para assegurar que a legenda chegue ao coeficiente eleitoral e se mantenha representado no Legislativo. Aliás, esta é uma preocupação de todas as legendas. Contudo, no caso do MDB, a versatilidade política de Carlos Costa pode ser um tempero extra nesta composição! O vereador tem total apoio da legenda para escolher seu rumo em 2020, pode ser candidato a reeleição, onde será ladeado por outros nomes já pré-selecionados pelo partido para a disputa da Câmara, ou, pode também ser candidato a prefeito ou vice, o que Costa não se faz de rogado! Numa disputa onde o preço da campanha chega a ser “proibitivo”, os grupos políticos pensam se “vale a pena investir em nomes que mesmo com exposição não decolaram”! Se compensa apostar na manutenção do grupo político que chegou ao governo com o PTB, tendo em vista o crescimento da terceira via e consolidação da oposição de esquerda que mantém fiel seu eleitorado em torno de 25% dos eleitores. Neste cenário, Carlos Costa e seu MDB conversam com um amplo leque de legendas e com o comando partidário em Minas, o vereador tem muitas opções e apenas uma certeza: Seja qual for a opção que escolher disputar, não tem nada a perder!

Trânsito x Planejamento e Modernização

A falta de conclusão das obras no trânsito de Varginha é uma das “arapucas” que podem ficar para o próximo prefeito. O atual governo tem pela frente um audacioso plano de recapeamento de vias na cidade que deve atingir as principais ruas e avenidas, contudo, é sabido que a cidade precisa de uma “modernização” no planejamento das vias. Exemplo disso é a região do Santa Maria onde há muitos anos o Executivo estuda construir uma rotatória na confluência entre a Avenida dos Imigrantes, Rua Milton Costa, Avenida Miguel Alves, Avenida Batistinha, Avenida Zoroastro Franco de Carvalho e Rua Dalyse Bueno Niemeyer. A obra foi iniciada interrompida sem explicação, e certamente a conclusão é determinante para saber quais vias da região precisaram ser recapeadas. O mesmo ocorre com outras regiões da cidade, como a entrada da cidade pela Av. Dr. Módena e Plínio Salgado e a saída para BH e SP pela Av. Princesa do Sul. Nestes pontos é preciso que diversas ruas laterais sejam ampliadas, sejam feitas desapropriações e modernizações na sinalização para que, depois disso, estas vias sejam recapeadas e ampliadas. Caso a Prefeitura de Varginha promova o recapeamento das vias, sem antes planejar a modernização do trânsito, corremos o risco de deixar obras emergências sem fazer e, com isso, atrasar ainda mais o desenvolvimento de áreas importantes da cidade esquecidas.

 

Comente!

 
Últimos artigos deste colunista
« ver todos
 
Colunistas

Página Principal | Notícias | Entretenimento | Guia Comercial | Guia de Bares e Restaurantes | Guia de Hospedagem
SIGA O VARGINHA ONLINE Curta a Página do VOL no Facebook Siga o VOL no Twitter Fale conosco
Quem Somos | Entre em Contato | Cadastre sua Empresa | Cadastre seu Evento | Central do Usuário | Anuncie no Varginha Online

Todos os direitos reservados 2000 - 2014 - Varginha Online - IPHosting- Hospedagem de Sites (Parceiro Varginha Online)