Coluna | BRASILzão
Fábio Brito
Presidente da Empresa das Artes, editora com mais de 160 obras publicadas nos segmentos de turismo, meio-ambiente e cultura; de guias de viagem a livros de arte. Os textos de Brasilzão são de sua autoria.
Curitiba, Terra de muito Pinhão
09/07/2019
Aproveito do frio paulistano e de minha recente volta de Curitiba para mergulhar um pouquinho na linha do tempo de uma das mais emblemáticas capitais do Brasil e, sem dúvida, a mais simpática do sul do país. 

Curitiba foi fundada em 1693 e é uma das mais antigas capitais do Brasil.

Em 2018, a Capital Paranaense contava com 1.917.185 milhões de habitantes, de acordo com o IBGE. 

Em 1872, Curitiba contava com 12.651 habitantes, em 1900, a população era de 49.755, em 1950, sua população era de 180.575 e atualmente, estamos atingindo a casa de cerca de 2 milhões de curitibanos.  É assustador...

Vamos lá, acompanhem comigo um pouquinho da história da Capital do Paraná, Curitiba (em idioma indígena, Curitiba quer dizer ‘’terra de muito pinhão’’):        

1750 – Portugal e Espanha assinam o Tratado de Madri, que confirma diplomaticamente as novas fronteiras entre os domínios espanhóis e portuguesas. Com isso, o rio Paraná, no oeste paranaense, passa a ser a fronteira natural entre as possessões dos dois países. 

1765 – Como prevenção ao poderio espanhol, Afonso Botelho recebe ordens pra construir uma fortaleza na barra de Paranaguá. Inicia-se, no ano seguinte, a construção da Fortaleza de N. Sra. Dos Prazeres (Forte da Ilha do Mel), que foi concluída em 1770. 

1771 – O tenente-coronel português Afonso Botelho de Sampaio e Souza chega aos campos de Guarapuava, uma região habitada por índios kaingang. A fundação de outros povoamentos, a descoberta de ouro e a abertura de caminhos para o sul estimulam o desenvolvimento do planalto paranaense. 

1808 – Fugindo das tropas francesas, a Corte portuguesa chega ao Brasil e instala-se no Rio de Janeiro. O príncipe regente D. João decreta a abertura dos portos brasileiros a todas as nações amigas e declara guerra ao Império Francês. A Família Real portuguesa passa por Curitiba.

1811 – Iniciam-se várias movimentações no sentido de transformar a comarca de Curitiba em província. Destacam-se neste trabalho, Floriano Bento Viana, Sila Machado, Paula Gomes, Manoel Francisco Correia Júnior e Cruz Machado. 

1812 – Curitiba, mais importante do que Paranaguá, passa a sediar a comarca. 

1842 – A vila de Curitiba é elevada à cidade. 

1853 – Em 29 de agosto, a comarca de Curitiba, então pertencente à província de São Paulo, é elevada à condição de província, com a denominação de província do Paraná. Em 19 de dezembro, Zacarias de Góis e Vasconcelos é nomeado seu primeiro presidente. Dá-se, assim, a emancipação política do Paraná. 

1854 – Curitiba, com pouco menos de 6 mil habitantes, torna-se a capital da província do Paraná, em julho. Surge o primeiro jornal paranaense, o Dezenove de Dezembro. 

1865 – Participação da província do Paraná na Guerra do Paraguai. 

1870 – Divulgado no Paraná o Manifesto Republicano. 

1871 – Chegam os primeiros imigrantes poloneses. 

1872 – Os imigrantes italianos chegam a Curitiba. 

1873 – Lançada a pedra fundamental do novo Mercado Municipal. 

1874 – Inaugurado o Mercado Público. 

1876 – Inaugurado o Museu Paranaense, idealizado por Agostinho Ermelino de Leão e José Cândido da Silva Murici.

1878 – Os italianos de Curitiba fundam a colônia de Santa Felicidade. 

1885 – Construída a ferrovia na Serra do Mar, ligando Curitiba a Paranaguá. 

1889 – Ocorre na Ilha Fiscal, no Rio, a última grande festa do Império. A 15 de novembro, é proclamada a República pelo marechal Manoel Deodoro da Fonseca. A família imperial segue para o exílio e o marechal Deodoro assume o governo. O presidente da província do Paraná, Jesuíno Marcondes de Oliveira e Sá, é destituído. 

Instala-se o Governo Republicano Provisório do Paraná e cria-se a Constituição Estadual. 

1894 – A Revolução Federalista, iniciada no Rio Grande do Sul no ano anterior, chega ao Paraná, com o Cerco da Lapa. 

Destacam-se no episódio os coronéis Gomes Carneiro, Amintas de Barros e Dulcídio Pereira. O Barão do Serro Azul, juntamente com cinco companheiros, é fuzilado pelo governo na Estrada de Ferro de Paranaguá como represália por ter colaborado com os federalistas. 

Nas artes, surgem Mariano de Lima, com a Escola de Ofícios, e Alfredo Andersen, considerado o ‘’pai da pintura paranaense’’.

1895 – Chegam a Curitiba os primeiros imigrantes ucranianos. 

1912 – Criada a Universidade do Paraná, idealizada por Vitor Ferreira do Amaral e Nilo Cairo. Data do surgimento do monge José Maria, na zona do Contestado. 

Iremos, aos poucos, buscando conhecer para entender a Curitiba do terceiro milênio e do século XXI. 

Comente!

 
Últimos artigos deste colunista
« ver todos
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Colunistas

Página Principal | Notícias | Entretenimento | Guia Comercial | Guia de Bares e Restaurantes | Guia de Hospedagem
SIGA O VARGINHA ONLINE Curta a Página do VOL no Facebook Siga o VOL no Twitter Fale conosco
Quem Somos | Entre em Contato | Cadastre sua Empresa | Cadastre seu Evento | Central do Usuário | Anuncie no Varginha Online

Todos os direitos reservados 2000 - 2014 - Varginha Online - IPHosting- Hospedagem de Sites (Parceiro Varginha Online)