Coluna | Viver Consciente
Willes S. Geaquinto
Psicoterapeuta Holístico, Consultor e Palestrante Motivacional, Escritor - Autor dos livros "Cidadania, O Direito de Ser Feliz” e Autoestima – Afetividade e Transformação Existencial

Interatividade: Os textos desta coluna expressam apenas a opinião do autor sobre os assuntos tratados, caso o leitor discorde de algum ponto ou, até mesmo, queira propor algum tema para futura reflexão, fique a vontade para comentar ou fazer a sua sugestão.

Site: www.viverconsciente.com.br
Auto-aceitação(I)
20/05/2005
Às vezes, algumas palavras por serem bastante usadas acabam se vulgarizando, perdendo o seu real significado ou, até mesmo, servindo de instrumento de manipulação ao passar a idéia distorcida do seu verdadeiro conceito. Com a palavra aceitação, ou auto-aceitação, que são termos que uso muito ao falar de auto-estima, isso acontece bastante. Num curso de auto-estima, uma participante me disse: “... mas, eu não consigo me aceitar assim como sou, eu quero mudar”. Eu lhe respondi: “mas quem disse que aceitando-se você não pode mudar?”. Ela então falou: “já me disseram que eu devo conformar-me com a minha vida, aceitá-la assim como ela é...”.

Observem que há um equívoco em entender que auto-aceitação é o mesmo que conformar-se. E o pior é que isso tem sido muito comum na vida de muitas pessoas, pois, de diversas maneiras alguns pais ensinam esse conformismo para seus filhos, algumas religiões pregam para os seus seguidores e alguns professores ensinam a seus alunos. Do ponto de vista da reestruturação da auto-estima ou da busca de um modelo de vida mais saudável, que é o meu enfoque, a auto-aceitação é na verdade o ato consciente da pessoa visualizar suas qualidades e limites visando crescer a partir dessa constatação. Trata-se, portanto, de compreender racionalmente que, embora todos tenhamos algumas limitações, sempre é possível desenvolvermos a capacidade de vencê-las e realizar mudanças.

Nathaniel Branden, norte americano, Doutor em psicologia, diz o seguinte sobre o assunto: “ a auto-aceitação não implica numa ausência de vontade de mudar, melhorar ou evoluir. A verdade é que ela é uma pré condição de mudança. Se aceitamos de fato o que sentimos e o que somos, a qualquer momento de nossa existência podemos nos permitir ser plenamente conscientes da natureza de nossas escolhas e atos, e nosso desenvolvimento não será bloqueado”.

Então, a conclusão é de que pessoas que promovem sua auto-aceitação, sem máscaras ou disfarces, aumentam sua auto-estima e tornam suas vidas muito mais edificantes, leves e prazerosas.

Boa Reflexão. Paz e Luz para você.

Comente!

 
Últimos artigos deste colunista
18/03/2022 | Homo Homini Lupus
25/01/2022 | Ser mais
10/01/2022 | Não olhe para cima
« ver todos
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Colunistas

SIGA O VARGINHA ONLINE Curta a Página do VOL no Facebook Siga o VOL no Twitter Fale conosco
Página Principal | Expediente | Privacidade | Entre em Contato | Anuncie no Varginha Online

Todos os direitos reservados 2000 - 2022 - Varginha Online - IPHosting- Hospedagem de Sites (Parceiro Varginha Online)