Notícias | Agronegócio
Estudo destaca a participação das mulheres na cadeia produtiva do café, principalmente no Sul de Minas
Com assessoria | 09/04/2021 - 16:11:08
Foto: Divulgação Ufla
(Foto: Divulgação Ufla)

Há mais de 150 anos, o Brasil é considerado o maior produtor mundial de café, porém a atividade é considerada predominantemente masculina. Embora ainda muito anônimas, as mulheres desempenham diversos papéis em toda a cadeia produtiva da cafeicultura, uma das atividades econômicas mais importantes do estado de Minas Gerais.

 
Para se fortalecerem e ganharem mais visibilidade, as mulheres do café se unem em redes, como a International Women’s Coffee Alliance, popularmente conhecida pela sigla IWCA, presente em diversos países, ancorada no voluntariado e focada no empoderamento feminino, não apenas nas comunidades locais, mas por todo o sistema do agronegócio do café. “A IWCA é uma organização que funciona no sentido de empoderar mulheres em todo o setor cafeeiro . O que percebemos entre as principais ações são os cursos e treinamentos para capacitação das mulheres e de suas famílias, feiras, exposições que permitem o encontro das mulheres, a busca por vendas coletivas, seja ajudando na constituição de cooperativas ou associações ou no fechamento de contratos no exterior, etc.”, conta a professora Mônica Capelle do Programa de Pós-graduação em Administração, da Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas.
 
Em parceria com a IWCA, a doutoranda Fernanda Dornela foca sua pesquisa na IWCA Mantiqueira, um subcapítulo (setor) da organização no Brasil, localizado em São Gonçalo do Sapucaí (SP). Os dados coletados por meio de sua pesquisa mostram que a maioria das participantes tem entre 31 a 40 anos, é branca, com ensino médio completo, tem como principal atividade econômica apenas o cultivo do café, possui renda mensal entre dois e cinco salários mínimos, é casada e com filhos. “Nosso objetivo é mostrar que estas mulheres estão, sim, presentes na cafeicultura brasileira e que desempenham um trabalho muito importante para a cadeia produtiva do café, atuando desde as pesquisas, passando pela formação de lavouras, pelas colheitas, pós-colheitas, gestão em cooperativas, barismo e demais setores desse sistema no País. Elas devem ser reconhecidas e ter suas vozes ouvidas por toda sociedade”, diz Fernanda. “Temos evidências e informações de que as contribuições das mulheres ao longo da história do café estão sempre presentes em todo esse sistema agroindustrial”, completa a professora.
 
Sobre os motivos que levam essas mulheres a participar da rede IWCA Mantiqueira, o estudo mostra que elas relatam terem sido motivadas pela busca do reconhecimento, da visibilidade e da valorização do trabalho delas com o café. “Observamos também que elas buscam o fortalecimento da sua atuação na cafeicultura e também do negócio, produzindo e/ou vendendo um café de qualidade que seja valorizado e reconhecido no mercado”, diz Fernanda.
 
Na primeira etapa do estudo, ainda em andamento, as pesquisadoras identificaram o perfil socioeconômico das mulheres que participam da IWCA Mantiqueira e quais são algumas das motivações que as levam a integrar essa rede, observando as contribuições que a IWCA proporcionou a essas mulheres. “Foi mapeada uma diversidade enorme nesse grupo de mulheres, diversidade de renda, de atividades, classe social, etnia. Agora estamos na segunda parte da pesquisa, para compreender como são as relações dessas mulheres entre si dentro da IWCA”, explica Mônica.
 
A próxima etapa da pesquisa tem como objetivo conhecer e analisar mais afundo quem são as integrantes da IWCA Mantiqueira e qual é o contexto organizacional dessas mulheres. “Buscamos compreender como as características do passado colonial que estruturaram e ainda estruturam nossa sociedade estão presentes nas relações de poder entre as mulheres associadas da IWCA Mantiqueira, considerando a interseccionalidade entre diferentes categorias”, comenta Fernanda.
 
Ao todo, 87 mulheres da IWCA Mantiqueira responderam ao questionário proposto pelas pesquisadoras. Entre os fatores que contribuem para a invisibilização da presença e do trabalho dessas mulheres na cafeicultura está a herança patriarcal que a sociedade brasileira traz enraizada desde o período colonial. “Quando as mulheres são casadas, por exemplo, supõe-se que são os maridos que atuam na negociação, venda e administração do dinheiro proveniente do café, tornando a atividade masculina e patriarcal”, comenta Fernanda.
 
A pesquisa deverá fornecer dados importantes para futuros estudos sobre o papel das mulheres na cafeicultura, principalmente na região do Sul de Minas Gerais. “Essas informações são de grande importância para nós, da IWCA Mantiqueira, e da Associação de Mulheres Empreendedoras da Serra da Mantiqueira de Minas Gerais (AME/CAFÈ). Estamos aguardando ansiosas o fechamento para conhecermos realmente quem são essas mulheres da nossa cafeicultura”, comenta a presidente da IWCA Mantiqueira, Simone.
 
Para Fernanda, a tese tem sido um grande aprendizado: “juntei minhas duas paixões, a cafeicultura e as questões de gêneros, principalmente envolvendo mulheres. Me sinto muito feliz e realizada em saber que essa pesquisa poderá contribuir para o reconhecimento da importante presença das mulheres na cadeia produtiva do café”, finaliza.
 

Siga o Varginha Online no Facebook, Twitter e no Instagram.

Receba gratuitamente nossas notícias no seu celular, escolha o aplicativo de sua preferência:

 

Comente a Notícia!

Últimas Notícias
No dia 28 de maio - 16/05/2021
Varginha (MG), maio de 2021: Há quase 18 anos presente em Varginha, a Água Doce Sabores do Brasil promove ações sociais com instituições da cidade desde 2005.
Vacinação contra a Covid-19 - 16/05/2021
A Secretaria Municipal de Saúde de Varginha divulgou o cronograma de vacinação contra a Covid-19 para essa semana na cidade.
Loterias - 16/05/2021
Nenhum apostador acertou as seis dezenas do Concurso 2.372 da Mega-Sena sorteadas na noite de sábado (15) no Terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo.
Parcelas de R$ 150 a R$ 375 - 16/05/2021
Trabalhadores informais nascidos em janeiro recebem hoje (16) a segunda parcela da nova rodada do auxílio emergencial. O benefício terá parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo da família.
Vídeo - 16/05/2021
Um lobo Guará foi visto na madruga do sábado (15) no Centro de Varginha. Um vídeo que circula nas redes sociais, mostra o animal correndo na Rua Santa Cruz.
Vacina contra a gripe - 16/05/2021
Neste domingo (16), Varginha promoverá o Dia D de imunização, dando continuidade a segunda etapa de vacinação contra a Gripe (Influenza), entre 8h e 12h, que contemplará o seguinte público:
Boletim do coronavírus - 15/05/2021
Neste sábado (15), Varginha confirmou 79 novos casos de Covid-19.
De 17 a 19 de maio - 15/05/2021
A Campanha Nacional de Escolas da Comunidade (CNEC), mantenedora da Faculdade CNEC Varginha – FACECA, realizará, entre os dias 17 e 19 deste mês, o 1º Congresso Nacional InterCNEC.
Educação - 15/05/2021
O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informou, em nota, que pretende realizar as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 este ano.
Economia - 15/05/2021
Faltando 17 dias para o fim do prazo, cerca de 12 milhões de contribuintes ainda não acertaram as contas com o Leão.
Página Principal | Notícias | Entretenimento | Guia Comercial | Guia de Bares e Restaurantes | Guia de Hospedagem
SIGA O VARGINHA ONLINE Curta a Página do VOL no Facebook Siga o VOL no Twitter Fale conosco
Expediente | Privacidade | Entre em Contato | Central do Usuário | Anuncie no Varginha Online

Todos os direitos reservados 2000 - 2021 - Varginha Online - IPHosting- Hospedagem de Sites (Parceiro Varginha Online)